Copenhague: uma das cidades mais charmosas da Europa

Quando eu penso na Europa, uma imagem romântica me vem à cabeça. Pessoas elegantes caminhando por ruelas de pedra, bicicletas com cestinhas zanzando por todo lado, lojas pequenas e charmosas ao lado de casas antigas e coloridas, e um alto nível de segurança e organização urbana que permitem uma vida tranquila, onde todo mundo fica conversando até tarde em cafés ou bares com mesinhas nas calçadas. Bom, Copenhague, capital da Dinamarca, é o ápice dessa imagem.

A colorida Copenhague

A colorida Copenhague

No verão, a cidade fica ainda mais mágica, com uma mistura de turistas de toda parte do mundo e dos moradores, que lotam as praças arborizadas e a praia em torno do porto. Eu fiquei hospedada bem no centrinho histórico, no maravilhoso CPH Downtown Hostel. Super bem decorado, com quartos privativos e dormitórios, bar e restaurante, o CPH ainda oferece um jantar simples de cortesia, tours e música ao vivo em algumas noites. O lugar não só reúne viajantes, mas também moradores em busca de um happy-hour mais em conta e até uma galera business em reuniões na hora do almoço.

O super CPH Downtown Hostel.

O super CPH Downtown Hostel.

Os guias do Free Walking Tour passam ali todos os dias às 10:45h para buscar interessados em conhecer a história da cidade. Eu super recomendo se juntar a eles. A caminhada leva em média três horas (com um break para um lanche na hora do almoço), percorrendo todo o centro antigo, passando pelo Palácio Real (que ao meio-dia tem a troca de guarda) até a baía, perto de um dos pontos turísticos mais famosos do país, a estátua da Pequena Sereia.

Visitando o Palácio Christianborg no Free Walking Tour. Subir na torre é gratuito.

Visitando o Palácio Christianborg no Free Walking Tour. Subir na torre é gratuito.

O Palácio Real de Copenhague parece de brinquedo.

O Palácio Real de Copenhague parece de brinquedo.

Conhecendo o City Hall da capital dinamarquesa no Free Walking Tour.

Conhecendo o City Hall da capital dinamarquesa no Free Walking Tour.

Milhares de viajantes já entregaram a verdade: a estátua é pequena e, sendo franca, não tem nada demais. Porém, ela ainda representa um grande ícone do país e, por isso, eu acredito que valha ser visitada. A obra em bronze foi encomendada em 1909 e em 1913 foi revelada ao público em uma homenagem ao conto infantil do autor dinamarquês Hans Christian Andersen. Talvez o fato mais interessante sobre a Pequena Sereia é que, por ser um símbolo tradicional, a estátua constantemente sofre atos de vandalismo por grupos reivindicando interesses diversos. Em abril de 1964, inclusive, a sereia teve sua cabeça decepada (o que aconteceu várias vezes ao longo da história). A peça nunca foi encontrada, e uma nova precisou ser confeccionada para a restauração.

A famosa e pequena estátua Pequena Sereia

A famosa e (realmente) Pequena Sereia

Sim, Copenhague é cheia de histórias peculiares. Você sabia que existe um bairro hippie na cidade que possui suas próprias leis? Pois é. Christiania, uma comunidade independente e autogerenciada com valores anarquistas, foi criada em 1971 em uma antiga base militar. Como já era de se esperar, a maconha era vendida livremente dentro de suas fronteiras até 2004, quando o governo de Copenhague tomou uma série de iniciativas para regulamentar o caso. Carros, armas e fogos de artifício são proibidos por ali. Ficou curioso? O estilo de vida alternativo pode ser conhecido através de um Free Walking Tour de 90 minutos, mas obedeça sempre aos avisos: fotos estão proibidas, não corra (os moradores acham que a polícia está na área) e divirta-se.

As "leis" de Christiania (foto por Anna Leevia)

As “leis” de Christiania (foto por Anna Leevia)

E os passeios tradicionais? A capital dinamarquesa também está cheia deles! A lista de museus de Copenhague, por exemplo, é simplesmente gigantesca! Há vários legais, mas se você tiver que escolher um, não deixe de ir ao Museu Nacional, que tem entrada gratuita e o acervo mais completo sobre a história do país, desde seus primeiros habitantes, passando pelos Vikings, até chegar à era contemporânea.

O Museu Nacional

O Museu Nacional

Esse é um instrumento da Idade do Bronze chamado Lurs. Curioso, não?

Esse é um instrumento musical e de alerta da Idade do Bronze chamado Lurs. Curioso, não?

Para bater perna, vá até a rua de compras Stroget (se prepare para preços altíssimos) ou passeie pela rua de pedestres Falkoner, onde você verá lojinhas menores e vários lugares charmosos para comer. Aproveite e pare no famoso Bertels Salon, um café especializado em cheesecake. O lugar é pequenino, mas muito fofo (uma fatia custa 48 coroas, ou 6,40 euros).

Delicioso cheesecake de morango.

Delicioso cheesecake de morango da Bertels.

Outro point para os foodies de plantão é a rua Jaegersborggade. A área, que já esteve meio abandonada e era considerada “estranha”, recentemente recebeu vários novos empreendimentos. Hoje a região é a mais trendy da cidade abrigando mais de 40 galerias de arte, mercadinhos de produtos orgânicos, lojas de roupas vintage, ateliês de cerâmicas e de designers de joias e vários restaurantes legais, incluindo o Relæ, que tem uma estrela Michelin e foi considerado o 45º. melhor restaurante do mundo em 2015 pela World´s Best Restaurant. Se você, como eu, é um coffee lover, atenção! Ali fica também o The Coffee Collective, um lugar despretensioso focado exclusivamente em servir um ótimo café.

O despojado The Coffee Collective (foto de Visit Copenhagen)

O despojado The Coffee Collective (foto de Visit Copenhagen)

Como fiquei apenas 2 dias e meio na cidade, não tive tempo de visitar tudo o que eu queria. Ficaram para uma próxima viagem o famoso Tivoli Parque, um dos parques de diversões mais antigos do mundo, e a Cervejaria Carlsberg, que além de fabricar cerveja tem uma história entrelaçada com a do crescimento da cidade. Mas, sabe? Eu não me preocupo. Me apaixonei tanto pela cidade que a questão não é “se” voltar, mas somente “quando”. Rs.

Lindos detalhes de Copenhague

Lindos detalhes de Copenhague

OUTRAS INFORMAÇÕES:

-Para mais informações sobre o que ver e fazer na cidade, acesse o site Visit Copenhagen, que é super completo e tem sempre dicas atualizadas.

-Muitos museus são gratuitos às quartas-feiras. No verão há shows grátis nas noites de sexta no Tivoli. Em julho, rola o Festival Internacional de Jazz e o Festival de Escultura de Areia no Amager Beach Park.

-Respeite a lei de pedestres em Copenhague. Atravessar fora da faixa rende uma multa de mais de 100 euros. Tome também muito cuidado com as faixas para ciclistas, pedestres estão expressamente proibidos de transitar por ali.

-Vai com crianças? A Lego é dinamarquesa e tem uma super loja na cidade. A criançada fica ensandecida.

Esculturas e painéis de Lego da loja da marca em Copenhague

Esculturas e painéis de Lego da loja da marca em Copenhague

comments2

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: