Salar de Uyuni: dicas para uma viagem (quase) sem perrengue pela Bolívia

A primeira coisa a ser feita ao escolher viajar para a Bolívia é definir o que é uma viagem sem perrengue para você. Se você não tolera imprevistos e esperas, melhor riscar o país da lista de destinos. E isso não tem a ver com o nível de luxo da viagem. Você pode ficar nos hotéis mais luxuosos disponíveis e só andar de avião e, ainda assim, a falta de estrutura e a cultura boliviana te afetarão. Afinal, não importa a quantidade de dinheiro que você leva na carteira, a fila de uma hora para passar a imigração é igual para todo mundo.

Mesmo assim, vale muuuuito conhecer o país! Sucre é uma cidadezinha linda e o Salar… Bem, o Salar de Uyuni é inacreditável! Uma das paisagens mais espetaculares que já vi! (Conto tudo sobre o Salar neste post). As dificuldades que passei por lá, na verdade, foram devido à falta de informação específica sobre alguns pontos: como funcionam os aeroportos, melhores agências para fazer o tour do Salar, horários dos ônibus etc. Então, aqui vão dicas valiosas que descobri batendo a cabeça no meio da viagem.

Qual o melhor roteiro para chegar ao Salar?

A maioria dos viajantes faz um dos dois roteiros:

1- Brasil => La Paz => Uyuni (e mesmo trajeto de volta)

2- Brasil => Santa Cruz => Sucre => Potosí (opcional) => Uyuni (e mesmo trajeto de volta)

O que geralmente define o ponto de partida é o valor e disponibilidade de voos a partir do Brasil. Eu, por exemplo, comecei a viagem em Santa Cruz, pois consegui uma ótima promoção para viajar com milhas até lá.

Mapa para entender melhor as rotas bolivianas até Uyuni

Mapa para entender melhor as rotas bolivianas até Uyuni. O ponto verde é Uyuni.

Para o trajeto número 1, há duas possibilidades, pegar um ônibus de La Paz a Uyuni ou voar com a Amaszonas em um voo direto de 45 minutos que custa 167 dólares. Obviamente, o busão é a primeira opção dos mochileiros e de todo mundo que quer economizar um dindin. A viação Todo Turismo oferece um ônibus executivo noturno que é sempre bem elogiado, com cadeiras que reclinam bem, jantar e café da manhã, ar condicionado/aquecedor, travesseiro/cobertor e wifi (que funciona mais ou menos) por 270 bolivanos, ou aproximadamente 115 reais. As saídas acontecem diariamente às 19h, tanto de La Paz quanto de Uyuni. Só não espere uma boa noite de sono até o destino final. Lembra do que eu falei sobre a infra-estrutura do país? Pois é. Os 550 km entre uma cidade e outra percorrem uma estrada de terra digna de filme de terror. O que no Brasil demoraria 5 horas e meia, na Bolívia equivale a 10 horas de um tremelico sem fim.

Para quem sai de Santa Cruz, o primeiro trajeto é feito em voo da Amaszonas até Sucre (custa 54 dólares e demora somente 35 minutos). Até existem ônibus para esse percurso, mas ele passa pela estrada da morte, uma das rodovias mais perigosas (e demoradas) do mundo.

Sucre é uma gracinha! Não tenha dúvida e passe pelo menos um dia pelas ruas de pedra dessa cidade histórica (conto porquê nesse post). De lá, você pode pegar um ônibus até Uyuni. Porém, a viação 6 de Octubre é a única que faz o percurso direto, saindo às 20:30h e chegando mais ou menos às 4h por 60 bolivianos, ou 25 reais (a volta sai às 22h por 80 bolivianos – R$ 34). Prefere viajar de manhã? Não te culpo. Afinal as cadeiras não reclinam muito, não há banheiro e o ônibus, que sacode feito o diabo, vai lotado (inclusive com gente deitada ou em pé no corredor). Para aqueles que preferem sofrer durante o dia e dormir à noite, há uma opção diurna na ida, com saídas às 6:30 da manhã da rodoviária de Sucre. Não importa se você decidiu ir de manhã ou à noite, por ser a única com translado direto, os bilhetes da 6 de Octubre são concorridos, então compre com pelo menos um dia de antecedência (os bilhetes são vendidos na rodoviária de Sucre e na loja da empresa em Uyuni, que é o local de onde os ônibus saem para voltar à cidade. Se você quer garantir um bilhete, não tá a fim de ir à rodoviária e não se importa em pagar mais, garanta seu lugar no site da Tickets Bolivia, onde o ticket custará aproximadamente 12 dólares).

ônibus noturno que vai direito de Sucre para Uyuni.

Esse é o ônibus noturno que vai direito de Sucre para Uyuni.

ônibus noturno/diurno da 6 de Octubre

Lado dir.: interior do ônibus noturno/diurno da 6 de Octubre: NÃO HÁ BANHEIRO. Lado esq.: colocando as malas no busão.

A outra opção é comprar o bilhete com outras empresas. O porém é que todas fazem uma parada em Potosí, onde é necessário trocar de rodoviária para embarcar em outro ônibus até Uyuni. Um perrengue desnecessário em minha opinião. Eu não conheci, mas dizem que Potosí é uma vila bonita para passar um dia. Então, se você tem tempo e não conseguiu comprar o bilhete direto, quebre o itinerário, partindo de manhã para Potosí, passeando umas horas ou um dia pela cidade, e depois seguindo viagem até a base do Salar.

Há também a opção de pegar um voo de Sucre até o Salar. Não existe voo direto, mas mesmo com a parada em La Paz, o trajeto levará apenas 2 horas (a partir de 227 dólares com a Amaszonas). Só não deixe para comprar suas passagens presencialmente na Bolívia. Você até encontra os mesmos preços disponíveis no site, o problema é que eles não aceitam cartão de crédito, somente dinheiro em espécie na moeda local.

Vale a pena ficar uns dias em La Paz, Santa Cruz e/ou Sucre?

Não conheci La Paz, mas quem visitou garante que é legal passar pelo menos três dias na cidade para conhecer os pontos turísticos locais e os de cidades próximas, como Copacabana e Isla del Sol.

Para quem chega à Bolívia através de Santa Cruz, eu recomendo pular a cidade e já pegar uma conexão para Sucre. Santa Cruz é como qualquer cidade brasileira de tamanho médio e não oferece grandes atrações ao turista (apesar de ser a mais arrumada e cosmopolita das três). Na verdade, o ponto turístico interessante mais próximo fica em outra cidade: a igreja de Concepción, que é decorada com trabalhos conhecidos como “barroco indígena” (leva uma média de 4 horas para ir e mais quatro para voltar). Caso você decida passar por lá, dê uma olhada no site Nick’s Adventures, uma empresa criada por um australiano que decidiu ficar em Santa Cruz.

Sucre é super charmosinha, com restaurantes bacanas e vários lugares legais que pedem uns dois dias (leia mais sobre a cidade aqui). Na verdade, se eu pudesse (em relação a tempo e dinheiro), meu roteiro ideal pela Bolívia teria sido assim:

(1) Chegar em Santa Cruz e já pegar uma conexão para Sucre => (2) ficar em Sucre dois dias (um dia inteiro e uma noite) => (3) voar para La Paz (há um voo direto diário de 40 minutos pela Amaszonas por 80 dólares) e ficar 3 dias lá => (4) voar para Uyuni no final do terceiro dia e dormir lá na noite anterior ao tour (voo direto de 45 minutos por 167 dólares) => (5) fazer os 3 dias e 2 noites do tour do Salar => (6A) passar mais uma noite em Uyuni e voar na manhã seguinte direto para Santa Cruz (voo matutino com conexão em La Paz, demora 2 horas e meia para chegar e custa 258 dólares) já fazendo conexão com o voo de volta ao brasil OU (6B) pegar um ônibus de Uyuni a Potosí  no último dia do tour do Salar (aprox. 4,35 dólares), dormir em Potosí e explorar a cidade no dia seguinte, para então pegar outro ônibus até Sucre (aprox. 5 dólares) e de lá um avião (54 dólares, 35 minutos) até Santa Cruz para retornar ao Brasil.

Formas de pagamento na Bolívia: câmbio, cartão de crédito e dólares

Com exceção de alguns lugares em Santa Cruz, a maioria dos estabelecimentos que visitamos na Bolívia não aceita cartões de crédito (inclusive agências de viagem, companhias aéreas ou de turismo, como as que fazem o tour do Salar). Como sempre fazemos, levamos um cartão de débito recarregável em dólares, nosso Travel Money, que usávamos para sacar na moeda local. No entanto, entre o dólar alto, IOF e taxas bancárias, percebemos que levar reais sai mais em conta.

No aeroporto, a casa de câmbio possui taxas de troca mais desfavoráveis, como já era de se esperar (1 real =  2 bol). Mas é só se aventurar cidade à dentro, tanto em Santa Cruz como em Sucre, que o real fica mais valorizado. No mercado central em Sucre, achamos várias lojinhas que vendiam bugigangas variadas e ainda trabalhavam como câmbio, trocando 1 real por 2,2 bolivianos.

Detalhes que você precisa saber sobre os aeroportos e rodoviárias

Aeroportos:

Não conhecemos o aeroporto de La Paz, mas o de Uyuni é somente uma pista de voo, enquanto os de Santa Cruz e de Sucre são pequenos e meio bagunçados. O de Santa Cruz de La Sierra é o melhor dos dois, com mais opções de lugares para comprar comida e até um daqueles “hotéis” onde você paga por hora e pode dormir um pouco e tomar banho. Há um duty free também, mas é tão pequeno que é melhor deixar para fazer compras ao desembarcar no Brasil.

Já o aeroporto de Sucre é minúsculo, com poucas cadeiras. Para matar a fome, há somente um restaurante e três lojas de chocolate. Outro detalhe importante, o aeroporto só abre às 7:00h. Ou seja, se seu ônibus chegar de Uyuni às 4 horas da manhã e você tiver um voo para Santa Cruz na sequência, o jeito é matar um tempo na rodoviária, como nós fizemos. Em alguns aeroportos, como o de Sucre, há também uma taxa de embarque extra de 11 bolivianos, que deve ser paga antes do seu voo (em Santa Cruz ela já vem adicionada ao preço final da passagem).

Caso tenha comprado sua passagem online para os voos internos, é mandatório mostrar o mesmo cartão de crédito da compra na hora do check in. Sem ele, você não conseguirá embarcar e terá que comprar outra passagem em dinheiro.

Quando for pegar o voo de volta ao Brasil, chegue com pelo menos 2 horas e meia de antecedência, principalmente se você quiser comer alguma coisa antes de embarcar. Além da confusão do check in, a imigração leva cerca de uma hora. Em hipótese alguma perca um papelzinho verde da imigração entregue ao chegar ao país, sem ele você não embarca de volta (ou pelo menos perde seu voo, como vimos acontecer com alguns gringos).

Outra informação importante: a polícia boliviana costuma abrir a bagagem de estrangeiros nos voos de volta. Não importa se sua mala estiver com cadeado (nem com os sugeridos pela imigração americana, onde os policiais conseguem abrir sem danificar), eles forçam o zíper até abrir. Ah! E ninguém te avisa sobre esse processo no check in. Descobrimos isso junto com outros passageiros ao desembarcar em Guarulhos com a mala danificada. A GOL pagou pelo conserto, mas é melhor evitar o estrago, certo? Minha sugestão: pegue alguns daqueles lacres de plástico oferecidos pelas companhias aéreas no Brasil. Você pode usar um para fechar sua mala e deixar o outro colado com durex perto do fecho. Assim, as autoridades conseguem abrir sua bagagem sem danifica-la e ainda fechar a mesma na sequência (se estiverem com boa vontade, claro).

Rodoviárias:

Só passamos pela de Sucre, que é feia, suja e caótica. Há banheiros pagos (1 bol) e algumas lanchonetes, mas eu não comeria por lá. Mesmo depois de entregar sua mala para o motorista e pegar o ticket para retira-la no destino final, fique por perto até fecharem o compartimento de bagagens, ou pelo menos até ele estar tão cheio que ninguém conseguirá tirar suas coisas de lá, para evitar furtos.

Antes de embarcar, é preciso pagar uma taxa de 2,50 bol pelo direito de viajar (sim, é isso mesmo). Com seu bilhete em mãos, vá até a banca de taxas no subsolo, de onde saem os ônibus, e efetue o pagamento. Sem o comprovante, você não conseguirá passar pela porta que dá acesso aos ônibus.

Em Uyuni não há rodoviária, o ônibus sai da frente do escritório de sua respectiva viação. Em ambas cidades, é preciso chegar com meia hora de antecedência.

rodoviária de Sucre

Olha o naipe da rodoviária de Sucre!

Disponibilidade de WIFI

Por mais incrível que pareça, há wifi gratuito na maioria dos estabelecimentos: hotéis, aeroportos, ônibus executivos, restaurantes etc. Em Uyuni encontramos free wifi em restaurantes e nos hotéis (como chegamos às 4 da matina, pegamos um hotel por algumas horas para descansarmos antes do tour que começa às 10:30h). No Salar, obviamente, não há wifi. Sim, serão três dias sem WhatsApp, Instagram e Facebook. Rs.

Táxis nas cidades

Andar de táxi é incrivelmente barato. Os carros estão caindo aos pedaços e não têm taxímetro, mas é só combinar o preço antes da corrida que não tem problema.

Santa Cruz – Percurso do aeroporto ao centro da cidade: 60 bolivianos

Sucre – Percurso do aeroporto ao centro da cidade: 30 bolivianos

Sucre – Percurso entre quaisquer dois pontos da cidade histórica: 10 bolivianos para duas pessoas (eles cobram a corrida por passageiro)

Bom, acho que é “só” isso. Rs. Falo das informações específicas do tour (agências, quantidade de dias, custo etc) neste post sobre meus três dias no Salar de Uyuni. Boa viagem, galera!

comments2

Anúncios

65 comentários em “Salar de Uyuni: dicas para uma viagem (quase) sem perrengue pela Bolívia

  1. fiquei 13 dias na bolivia fiz o trajeto la paz-sucre-potosi-uyuni e posso dizer que a viagem foi maravilhosa.
    Recomendo demais esses 4 lugares, la paz é imperdivel e o salar de uyuni maravilhoso
    Sucre e potosi historicas
    recomendo demais

    • Olá Mauricio, vou mochilar 13 dias pela Bolivia também, mas vou pelo “trem da morte”, vc pode me falar quanto tempo vc ficou em cada cidade e como vc fez os seus deslocamentos entre elas?
      obrigada desde já

    • Oi Leticia, gostei muito do post, acho que suas dicas serão bem uteis, fo post mais redondinho que li até agora com detalhes práticos de como é a viagem!!

      Vou agora em novembro/2016… Como falei na resposta do Mauricio, vou por corumbá e pego o “trem da morte” até santa cruz!! Estou com um pouco de medo pelo tempo dos deslocamentos, mas eu fiquei animada para fazer essa viagem de trem!! rsrs

      Mas, parabéns pelo post!

  2. Muito bom seu relato. Detalhes práticos que nao se encontra em outros sites.
    Só uma dúvida quanto ao valor das saídas em Uyuni. Pelo jeito todos 100USD?
    Obrigado Fer

    • Ops…. achei seu relato, e valores sobre Uyuni, estava achando que 100 USD haveria boas agências.. agora fiquei na dúvida! rss

      • Fer, tenho certeza que muita gente que pagou 100 dólares com outras agências não se arrependeu, mas a questão é o risco… Até a Red Planet, considerada uma das melhores, tem reclamações.

  3. Trabalhoso ir para Uyuni, hein?! Estou começando a achar que esse destino não vai me fazer feliz… rsrs

      • Vale a pena sim. achei mais bonito que Atacama…Só falta a estrutura que tem no Atacama

  4. Parabens pelo relato ! estou indo para bolivia em setembro , mas estou tendo problemas para comprar passagem cusco-lapaz pelo site da Amaszonas, queria saber se isso é normal e se existe outro opcao sem ser Peruvian e Amaszonas 😦

    • Oi, Cris! Eu tive problemas na hora de comprar a passagem com um cartão, mudei e deu certo com outro. Tentou Avianca? Acho que também voam para lá.

    • compre pela a boa é uma compania boliviana tambem..viajarei para la fim de ano

  5. Oi Letícia! Deixei um comentário no outro post, mas surgiu outra dúvida aqui… Eu chegaria em Sucre no domingo, 10h30… eu preferiria gastar mais e comprar antes a passagem pela 6 de Octubre de 20h30 pelo site que você linkou, e passar o dia em Sucre, porém estou com um medo… Você sabe se é comum os onibus atrasarem lá? Meu medo é comprar esse e não chegar a tempo de procurar uma empresa e sair no tour logo na segunda. Ou você acha que isso é improvável?

    • Dani, os ônibus não atrasam muito a saída, não. Aliás, todos os ônibus chegam mais ou menos juntos em Uyuni. Se você chegar às 4 da matina (como nós fizemos), recomendo dormir em algum lugar antes de sair para bater perna (vc vai precisar. rs).

  6. ola amigo poderia me informar quanto custaria um ônibus de la paz ate uyni , pois vc foi de avião e irei pela terra . obrigado

  7. Olá, vc se sentiu mal na viagem pro salar? Tomou algum remédio em especial ou o chá de coca? Pois ouvi dizer que as pessoas costumam sentir muita dor de barriga e passar mal com a altitude, teria alguma dica quanto a isso?Ahh e vc tomou vacina contra febre amarela pra entrar na Bolívia?Obrigado

    • Olá, Hugo! Tomei a vacina contra febre amarela, sim. Eles pedem a carteirinha de vacinação ao entrar no país (pediram a minha, pelo menos), então tem que tomar.

      Sobre a altitude, eu não passei mal, mas muita gente passou. Como já visitei outros lugares com altitude elevada, fui preparada. Tomei remédio contra o “mal da montanha” e fiquei super bem (o remédio é tomado antes de chegar à grandes altitudes). Entre em contato com um médico para pedir a receita. Vale muito a pena. bjos e boa viagem.

  8. Olá, você conseguiu encontrar/ficou em algum hotel/hostel em Uyuni que recomendaria? Pois estou indo para lá em outubro e já fechei todos os outros, mas em Uyuni não estou encontrando bons comentários a respeito de algum lugar para passar a noite.
    Muito obrigada!

    • Oi, Ana! Escrevi no final do post sobre o tour:

      “Uyuni é mais uma vila, um ponto de encontro de viajantes de todo o mundo com um único objetivo: conhecer o deserto de sal. Com aproximadamente 30 mil habitantes, não há muito o que fazer por lá. Mesmo assim, há alguns hotéis legais e outros focados mais em preço para pernoitar e recuperar as energias depois de três dias de tour.
      Le Petite Porte (http://www.hotel-lapetiteporte-uyuni.com/) – Administrado por um francês que transformou uma casa típica em um hotelzinho bem charmoso, um dos melhores da cidade (aprox. 630 bolivianos por noite para um casal). Wifi funciona bem e tem bom café da manhã.
      La Avenida (http://www.boliviahostels.com/Hotel_Avenida-Uyuni_761-en.html) – Para quem quer economizar, oferece quartos privados e dormitórios. Parece um hotel de beira de estrada, enorme e impessoal, mas tem camas limpas e uma ducha quente. Ou seja, é o suficiente para descansar algumas horas depois do tour antes de pegar seu ônibus de volta. Nós aparecemos lá sem reserva e pagamos 140 bolivianos para o quarto privado para duas pessoas (não aceita cartão de crédito). O wifi funcionava bem.

  9. Nossa, adorei o post, super prático! Me tira uma dúvida. Eu chego a Sta Cruz às 13h10 e há um voo para Sucre às 16h15. Esse tempo é suficiente para passar pela imigração + fazer check in e embarcar? Estou com medo de comprar e atrasar…

  10. Também sou de Vitória e estou indo esse mês pra Bolívia/Peru. Quero ir para o Salar e o seu relato foi o melhor que li até agora 🙂 Uma dúvida, em qual hostel vc ficou quando chegou de madrugadinha no Salar? Quero pegar esse ônibus das 20h30 e seria bom descansar antes de seguir em frente. Outra dúvida: com qual empresa vc fez o passeio ao Salar? Quero pegar o passeio de 3 dias/2 noite. Bjs!

  11. boa tarde,vou para a bolivia no fim de ano, só que para cochabamba,gostaria de saber
    se levando o real consigo trocar na bolivia,pois o dolar esta um absurdo.
    obrigado

  12. Super parabéns pelo relato,realmente um dos melhores que li até agora. Estou achando precária as informações sobre essa viagem. Então tenho umas perguntas:
    1. Em qual mês vc foi? Estou planejando ir em dezembro, pois quero ver o salar com os espelhos d’água como vc, mas morro de medo de não conseguir visitá-lo por causa das chuvas.
    2. As agências não oferecem mais estadias naqueles hotéis de sal?
    3. Vi algumas fotos de pessoas que fazem um passeio noturno no salar para observação do céu, porém não consegui informação de qual agência faz isso. Vc sabe alguma?
    4. Qual câmera vc usou para as fotos?
    5. Vou sozinha!!!!!!!!!!!rsrsrs O que vc acha disso??? Eu já enfrentei um mochilão cheio dos perrengues no Peru (já to no clima), mas tinha muito mais informações, isso que me preocupa.
    Bjs!

    • Oi, Tainá! Que bom que o post está sendo útil. Você viu esse post aqui também? https://girosporai.com.br/2015/03/11/tour-pelo-salar-de-uyuni-3-dias-das-paisagens-mais-inacreditaveis-que-ja-vi/

      Vamos as perguntas:
      -Eu fui no começo de março
      -O hotel de sal no meio do Salar está fechado. Ouvi dizer que há outros mais afastados onde você pode ficar, tem que conversar com sua agência
      -Não sei de nenhum passeio noturno no Salar, então teria que perguntar nas agências, ou para quem foi
      -Para as fotos, eu usei uma Canon T3 rebel com lente 18-135mm.
      -Encontrei pessoas fazendo o tour sozinhas. Se você já fez algum mochilão assim sozinha, não vejo problema.

      bjos e boa viagem

  13. Parabéns pelo relato, Letícia.
    De longe, o melhor que já li.
    Vou fazer esse percurso que você fez e estava bom algumas dúvidas sobre o voo interno. Me ajudou bastante…
    Abraços!!

  14. Boa noite, Letícia, tudo joia??

    Me tire uma dúvida: sentiu o mal da altura?
    Queria chegar em Sta Cruz e já descer para Uyuni, para fazer o passeio no outro dia. Mas lembrei desse probleminha…

    Abraços

    • Oi, Marcia! Desculpa a demora em responder, estava viajando! Então, não senti o mal da altura na Bolívia… Senti em outros lugares, tipo o Peru, mas lá, não. Acho que dá para ir tranquilo. Por precaução, beba muita água e faça o tour somente no dia seguinte à sua chegada. bjos!

  15. Olá. Estou planejando meu mochilão e adorei seu post.
    Quando chegou em Uyuni, tu já caçou um hostel/hotel certo? Dae foi pesquisar o passeio. Esse passeio foi no mesmo dia? Portanto ficou pouquissimo tempo no hotel, já que nos dias dos passeios vc fica em outros certo?
    E para quem vai seguir pro Atacama, não muda nada o roteiro, digo, não vou perder algum passeio por conta disso pq só no final do passeio que eles iriam me deixar na fronteira com o Chile certo?

    Grato.
    Até

    • Oi, Márcio! Eu fiquei em um hotel beeeem simples assim que cheguei só para descansar da viagem até a hora do passeio (o ônibus chega às 4 da matina e as agências só abrem as 9h).

      Para quem segue para o Atacama, ficam sem ver alguns lugares na volta para Uyuni. Mas não são as principais atrações.

      um abraço e boa viagem!

  16. Quanto você gastou no total da sua viagem para Bolívia?

  17. Olá! Vc sabe se existe guarda-volumes na Rodoviária de Sucre? Meu vôo chega às 15:10h e só vou embarcar p Uyuni às 20:30h. Acha que daria p dar uma volta na cidade durante esse período? Mto obrigada.

  18. muito obrigado pelas informações, pretendo fazer uma viajem para lá no final do ano.
    obrigado.
    Cristiano F D O

    • Oi, Bianca! Um viajante uma vez me disse que usou e nunca teve problemas, mas eu mesma nunca usei. Espero que se divirta bastante em sua viagem!

  19. Letícia, farei o tour Salar de Uyuni, mas saindo de San Pedro do Atacama, sentido Uyuni. Minha dúvida é se compensa na chegada em Uyuni, no terceiro dia, pernoitar na cidade para no dia seguinte ir para La Paz. Pesquisei que o tour encerra em Uyuni por volta das 17h, e o ônibus para La Paz, sai às 20h, são aproximadamente 12 horas de viagem. No final do terceiro dia você já está muito cansado? Dá para aguentar mais 12 horas de viagem ou é aconselhável dormir em Uyuni, como pretendo fazer?

    • Olha, essa é minha opinião… Eu acho pernoitar em Uyuni fundamental. Comer uma comida decente, tomar um banho quente. Mas essa é minha opinião. Rs.

  20. Ola Leticia, farei um Mochilao em Junho/ julho desse ano / Bolivia-Chile-Peru / antes de mais nada, parabéns pelo blog, pelos detalhes e pela atenção. Lendo com detalhe suas postagens e todos os comentários, consegui absorver muita coisa interessante que em muito irão me ajudar a planejar meu roteiro, Até Uyuni já consegui estabelecer muita coisa, minha pergunta então é se voce sabe informar como chegar no Atacama a partir de Uyuni? E só para constar, iniciarei a partir de Santa Cruz e seguirei mais ou menos seu roteiro. E de Yuni de Atacama seguirei para La Paz, mas este trecho buscarei outras bases de informações, pois a meta final é chegar a Machu Pichu.

    • Olá, Pedro. Infelizmente não sei dizer como chegar ao Atacama a partir de Uyuni. Muitos viajantes são deixados pela agência do passeio de Uyuni na fronteira do Chile no retorno do passeio de Uyuni, mas a partir de lá, não sei como é feito.

      • Obrigado Letícia, lendo esta e outras postagens suas com mais calma, consegui me interagir e compreender melhor, conforme o roteiro indicado por você. Mas se você puder só me dar mais uma ajudinha fico agradecido, pois em busca sobre valores atuais, sites de hostel e outros, ele tratam Yuni como Salar de Yuni, creio eu que Yuni´, onde chegam os onibus de Sucre seja o certo, e é onde ficam as hospedagens e as agencias que fazem o passeio para o Salar, pois até no mapa como do site rome2rio.com eles distinguem os dois lugares. Mas o mais importante, chegando no dia 10 pela madrugada, por exemplo, procuro um lugar para descansar em Yuni até encontrar uma agencia e iniciar o passeio, no pacote destas agencias, pelo que eu entendi inclui já hospedagem, alimentação… para 3 dias, ou não? Sei que tem outros gastos não cobertos pelo Pacote. Ou seja eu ficaria em Yuni nos dias 10, 11 e 12, pernoitando neste ultimo dia por conta própria, pois já não teria mais vínculo com a agência que fiz o passeio. E no dia 13 pela manhã seguiria para La Paz, você acha que estou mais ou menos no caminho certo?

  21. Olá Letícia. Muito legal seu post. Pretendo ir com milha família para La Paz, Uyuni e São Pedro de Atacama em julho deste ano. Você poderia nos ajudar com informações a respeito das estradas e se é possível e seguro viajar de carro entre essas cidades? Conhece algum site que fale a respeito disso? Só encontro relatos indo de avião, ônibus ou trem. Valeu, forte abraço. Wilson.

  22. olá, muito bom seu relato.. Vou fazer Uyuni e atacama começando por la paz, li que sao 3 dias até chegar em san pedro e lá os passeios sao diários, sabe que horas os passeios retornam? consigo retornar de um passeio e voltar para uyuni para pegar o onibus? Existe condução de san pedro para yuni e quais horarios? Obrigada

    • Oi, Lucilene. Como não fiz esse trajeto, La Paz-San Pedro, não sei te informar. Agora, se fizer uyuni e depois for pegar o ônibus, dá tempo, sim. Vários viajantes fazem esse trajeto.

  23. Muito obrigado pelo relato!

    Uma dúvida: Se eu pegar o ônibus de Sucre para Uyuni durante o dia, chegando às 17h30, consigo fechar o Tour de 3 dias para o Salar partindo já no dia seguinte?
    Caso não consiga, será que conseguiria fechar um tour no dia seguinte e já partir para o passeio direto?

    • Olá, Chico! Se você chegar no mesmo dia de manhã, consegue agendar o tour para o mesmo dia. A maioria dos viajantes faz assim.

  24. Nossa adorei o post! Vai ser super utilizanda. Me surgiu uma dúvida lendo o post, sobre a compra de voo, não posso comprar um voo com cartão de crédito de outra pessoa?

    • Obrigada, Crystian! Você pode pagar com o cartão de outra pessoa, desde que leve esse cartão e apresente-o no check in.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: