Dicas para viajar pelo menos 60 dias com três filhos pequenos. Você também pode!

Não é novidade que uma das minhas maiores paixões é viajar. Como eu e meu marido queremos ter filhos (ou filho, sei lá!), sempre surge aquela dúvida: será que conseguirei ser mãe e ainda viajar? Claro que cada pai/mãe tem um jeito de criar os filhos, mas, se possível, quero que meus pimpolhos conheçam o mundo o quanto antes! Conversando com uma amiga que viajou por 60 dias com três filhos pequenos (o mais velho tinha 5 anos!) vejo que realmente cada um faz sua história, nada é impossível nessa vida! Como me inspirei muito com a viagem da Gabi, vou dividir uma entrevista que fiz com ela aqui. Quem sabe novas (ou futuras) mamães se inspiram também?

1- Conte um pouco sobre sua viagem. Por quais lugares passaram, quanto tempo durou, e as idades dos filhos na ocasião.

Como casal, sempre gostávamos de viajar. Em função de nossos trabalhos, viajávamos muito, sempre aproveitando para dar uma esticada quando possível. Em 2012, nosso filho mais velho, Vincent, estava no último ano da educação infantil, idade ideal para realizar o sonho de fazer uma viagem mais longa com as crianças. Achamos que seria o último ano para fazermos isso, pois no próximo o Vincent não poderia mais faltar tantos dias de aula. Coincidentemente, em agosto de 2012, surgiu a oportunidade! Fomos convidados para uma comemoração de um aniversário de um grande amigo no Lago Maggiore na Itália e assim decidimos nossa viagem em uma semana. Ficamos 60 dias fora, passando pela França, Alemanha, Itália, Suíça e EUA  e ficando em 18 hotéis diferentes! Nossos filhos tinham na ocasião 5 e 3 anos e o mais novo apenas 1,6 meses.

2- Você tinha o hábito de viajar antes de virar mãe? Como a chegada dos pimpolhos mudou seus planos de viagens?

Aos 18 anos fui intercambista e aos 23, mochileira. Viajava muito a trabalho também.  Quando as crianças vieram não parei de viajar, mas o perfil da viagem mudou um pouco. Parar de viajar nunca! Em 2007, viajamos para França e Alemanha e nesta época Vincent tinha 4 meses. Em 2010, fomos para os EUA quando o Vincent tinha 3 anos, a Catarina 1 ano e eu estava grávida de 4 meses.

3- Quando você resolveu voltar a viajar depois de virar mãe? Há um tempo melhor para fazer a mala com os filhos (quando já são maiores, ainda bebes, ou não há diferença)?

É bom esperar o tempo necessário para as primeiras vacinas serem feitas. Depois, já estávamos com o pé na estrada. Acredito que é até mais fácil viajar enquanto eles só mamam no peito, pois não precisa se preocupar com nada. Mesmo assim, tanto na Europa quanto nos EUA, é muito fácil achar papinhas maravilhosas! Os dois países têm inclusive uma variedade grande de papinhas orgânicas! Você só precisa ser organizada e básica quando viajar com crianças. Nada melhor do que levar tênis e agasalhos, ou, dependendo do lugar e da estação do ano, um bom casaco! Ah! Outro detalhe importante é levar um carrinho do tipo “guarda chuva”. Esse é um item obrigatório, pois crianças geralmente não têm pique para longas caminhadas.

viajar-com-criancas

Começando a viagem com três crianças pequenas!

4- Qual foi a maior dificuldade em viajar com três crianças? Alguma dica para mães que pensam em fazer o mesmo?

A maior dificuldade foi fazer um programa a dois! Rs. Você passa 100% do tempo em função das crianças, ou revezando um momento só seu com o pai. Outra preocupação é em perder uma criança de vista. Mas adotamos uma estratégia muito boa para manter a família unida nos passeios: adquirir dois carrinhos, um de gêmeos (para os menores) e outro exclusivo para o mais velho. Compramos aqueles carrinhos leves e bem baratos.

Os carrinhos para as crianças que facilitaram a viagem

Os carrinhos para as crianças que facilitaram a viagem

5- Como seus filhos se sentem em relação a essa viagem hoje? Qual foi o lado positivo de ter viajado com as crianças?

Para o mais velho, a viagem foi excelente! Foi uma boa oportunidade para começar a enriquecê-lo culturalmente. O mais novo foi na onda, mas sinto que a viagem influenciou seu comportamento, ele adora sair de casa até hoje! Quem aproveitou menos foi a Catarina, pois é uma criança que aprecia muito a rotina e a falta disso a deixou um pouco irritada. Por isso, tentamos sempre incorporar algum tipo de rotina na viagem (fazer as refeições e dormir no mesmo horário, por exemplo). O grande fator positivo de viajar com as crianças são os vínculos familiares, que ficaram mais fortes após passarmos tanto tempo juntos. Outra coisa legal é que você consegue mostrar as diferenças culturais, os lados bons e ruins de cada país. Expor a eles outros estilos de vida, línguas e alimentos.

Crianças conhecendo a Europa!

Crianças conhecendo a Europa!

6- Se tiver, passe dicas gerais que ajudaram em sua viagem, ou em como viajar com crianças.

Para viajar com crianças, você precisa tentar ser o mais prático possível. Para dois meses de viagem, levamos somente duas mochilas e duas malas grandes, uma para o casal e a outra para as crianças. Ah! E procure colocar roupas práticas, daquelas que não necessitam passar.  Não precisamos levar muita roupa, já que uma ou duas vezes na semana procurávamos lavanderias self-service e em menos de uma hora tudo estava lavado e seco.

Nas mochilas levávamos garrafas de água, máquina fotográfica, fraldas, lenços umedecidos, uma muda extra de roupa para cada criança e o bendito Ipad (para as situações de emergência quando as crianças ficam irritadas durante uma refeição em um restaurante).

Em quase todos os hotéis precisamos reservar somente um quarto. Nos EUA é um pouco mais fácil, pois os quartos são mais espaçosos. Quando dava, optávamos por acomodações com cozinha e por hotéis que ofereciam alguma atração para crianças, como parquinhos ou piscina. Aí, sempre que possível, passávamos pelo menos uma hora no parque para brincar.

Para ir de um lugar ao outro, alugamos um carro grande, daqueles “Town & Country” já com cadeirões infantis. A verdade é que fiquei surpresa com a reação das pessoas ao verem que estávamos viajando com três crianças pequenas. Claro, não é tão simples e você precisa abrir mão de algumas oportunidades que teria se estivesse viajando sozinha. Mas com uma dose de paciência, calma e humor tudo ocorreu da melhor forma possível. Com certeza faria tudo de novo.

Criançada viajando na van!

Criançada viajando na van!

7- Conte-nos sobre o seu roteiro, para inspirar futuros pais viajantes!

Saímos de Curitiba para Frankfurt no dia 27 de ago de 2012. Chegamos de manhã e fomos direto para a Alsácia na França. Da Alsácia fomos para Suíça visitar uma família que mora nos Alpes e aproveitamos para mostrar as crianças uma geleira (Fiesch). Fomos ainda para Mélide mostrar a Suíça em miniatura.

Da Suíça fomos para Stresa, na Itália, ver o Lago Maggiore. Almoçamos com as crianças em um restaurante com estrela Michelan (elas até se comportaram bem, ufa!), e começamos nossa jornada pela Itália. Passamos por Florença, Lucca e Pisa. Conhecemos uma cidade maravilhosa chamada Orvieto e fomos para Roma reencontrar alguns velhos amigos (aproveitamos para andar de TRAM com as crianças, elas adoraram!).  Finalizando nossa estadia no país, deixamos Roma e fomos para Milão. Lá, fizemos vários programas legais com as crianças: demos comida para os pombos em frente ao Duomo e brincamos muito no parquinho do Parque Sempione. Como quase toda cidade europeia tem um carrossel, as crianças não perdiam um!

Em uma tacada só fomos de Milão para Frankfurt pegar um avião para Nova York.

Nova York é uma cidade fantástica para ir com crianças. Tem inúmeras atividades! Fomos ao zoológico, visitamos um porta-aviões e até um submarino. Visitamos também o maravilhoso museu de história natural! De lá viajamos até Orlando de carro, parando em Washington DC, Carolina do Norte e no Alabama para visitarmos amigos. Para as crianças, a última parada foi importante para fechar a viagem com chave de ouro: Disneyworld.  Estávamos cansados, mas ainda aproveitamos o parque Magic Kindgom e as piscinas do resort onde ficamos.

A última parada: Disney!

A última parada: Disney!

A Gabi fez uma viagem sensacional em família, não acham? Muitos destinos, mesmo sem crianças! Adorei ver que, como um pouco de planejamento e adaptações, podemos continuar com nossos sonhos. E você, o que achou?

 

comments2

Anúncios

8 comentários em “Dicas para viajar pelo menos 60 dias com três filhos pequenos. Você também pode!

  1. Belo exemplo de família! Parar de viajar, jamais! Lembro de ter visto pais mochileiros passeando com seus filhos pequenos até na loucura que são as ruas de Bangkok. Quando crescer, quero ser assim! 🙂

  2. Minha amiga Gabi é uma grande mulher! Toda essas aventuras só sao possíveis para graaandes mães… de grande coração e espírito guerreiro! Beijos Gabi

  3. Amei o post, super inspirador mostrando pra gente que teve baby recentemente que é possível sim! Também somos da opinião que não tem que parar de viajar por causa dos filhos não, mas é claro que algumas coisas na viagem serão adaptadas a eles. Nós já temos data marcada para viajar com nosso filhote, que terá só 7 meses! (se tiverem alguma dica especial para esta idade nos passem please!) 😉
    Acho que é bem isso que falaram: com paciência e humor tudo é possível!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: