4 vinhos tintos imperdíveis com ótimo custo-benefício para comprar no Chile

A seção sobre enoturismo começa com o Chile! Aí você já deve estar pensando, “putz, mas Chile é batido demais, né?”. Bem, sim, por ser mais próximo e acessível, e por nosso mercado estar repleto de vinhos chilenos. A escolha deste país pode até parecer desinteressante, mas juro que focarei além do “Concha y Toro”. Existe muita, mas muita coisa legal nesse país vizinho e que pouco ouve-se falar por aqui, principalmente em relação aos vinhos tintos. Então, aqui vai o primeiro post: 4 vinhos tintos imperdíveis com ótimo custo-benefício para comprar no Chile!

Adianto que não sou muito fã de posts em formato de lista, mas não existe solução mais prática para quem está viajando e quer dicas sobre quais rótulos comprar em um determinado país. Antes de falarmos sobre a lista em si, tenho duas observações importantes:

Em qualquer lugar do mundo, um bom vinho é aquele que você gosta.

E ponto final! Não há discussão sobre gosto, né?! Se você experimentou um vinho que gostou em um jantar, degustação ou qualquer outra oportunidade, não fique na dúvida! Confie no seu paladar, compre a garrafa e seja feliz!

Minhas recomendações consideram muito o custo do produto.

Muitos rótulos já chegam ao Brasil com um preço acessível, mas quando viajamos para outros países ficamos de queixo caído com vinhos que custam menos que uma garrafa de água! Em minha opinião, não vale trazer um vinho que você acha por 40 reais no Brasil (e que facilmente é encontrado por menos de R$ 15 no país de origem), já que pelos mesmos 40 reais você pode trazer outro avaliado entre 100-150 reais no mercado nacional!

Vamos à lista!

No 0 – Ué? Número zero?! Sim. Só para reforçar minha observação: vinho bom é aquele que você gosta! Ignore qualquer comentário, dica ou crítica e leve aquilo que lhe agrada.

Agora sim, a lista!

1 – Emiliana Coyam: Sem dúvida o Coyam fica no topo da equação “custo x benefício” do Chile! Um blend (mistura) de várias uvas (Syrah, Carmenere, Merlot, Cabernet Sauvignon, Mouvedere e Malbec – as variedades de uvas podem variar de acordo com a safra), esse vinho pode ser consumido imediatamente ou guardado por até 14 anos (a partir da data da safra especificada na garrafa). Além disso, os vinhedos que fornecem a uva do Coyam são orgânicos e biodinâmicos! A cada viagem ao Chile, volto com um(s) dele na mala.

Preço no Chile: entre 11.000 e 14.000 pesos (algo entre R$ 44 e R$ 56 reais)

Preço no Brasil: a partir de R$ 110

Emiliana Coyam 2006. foto: hogsheadwine

Emiliana Coyam 2006. foto: hogsheadwine

2 – Montes Alpha: Os vinhos Alpha da Montes são extremamente saborosos, complexos e com um ótimo potencial de guarda (10 anos), apesar de também estarem prontos para consumo. Minha recomendação é o Cabernet Sauvignon, o melhor de todos. O custo então, nem se fala! (Quer dizer, claro que vou falar):

Preço no Chile: entre 10.000 e 13.000 pesos (entre R$ 40 e R$ 52 reais)

Preço no Brasil: a partir de R$ 100

Montes Alpha. foto: wineblogforthefrugal

Montes Alpha. foto: wineblogforthefrugal

3 – Concha y Toro – Marques de Casa Concha: Opa, vamos falar então de Concha y Toro?! Sim! Mas sem falar de Casillero del Diablo (que você encontra facilmente no supermercado por menos de R$ 35). Marques de Casa Concha é mais um vinho certeiro para trazer na bagagem. Saboroso, complexo e barato. O único “porém” é que esta linha melhora muito depois de uns 5 anos da data da safra. Então, se você conseguir segurar a onda e guarda-lo em casa, terá uma experiência ainda melhor (dica para fazer isso: traga duas garrafas, tome uma de imediato para matar a vontade e guarde a outra).

Preço no Chile: entre 10.000 e 13.000 pesos (de novo, entre R$ 40 e R$ 52 reais)

Preço no Brasil: a partir de R$ 90

Marques de Casa Concha. Foto: Concha Y Toro

Marques de Casa Concha. Foto: Concha Y Toro

4 – Concha y Toro – Terrunyo Cabernet Sauvignon: A linha Terrunyo da Concha y Toro é a que oferece um diferencial realmente notável entre os vinhos ainda considerados “acessíveis” no mercado chileno. Para se ter uma ideia, acima do Terrunyo encontra-se apenas o famoso Don Melchor. O único ponto “ruim” deste rótulo é que ele não estará pronto para consumo, já que o mesmo atinge seu auge no mínimo uns 10 anos depois da data da safra. Mesmo assim, ele se apresenta de imediato como um vinho robusto e extremamente complexo!

Preço no Chile: aproximadamente 20.000 pesos (algo como R$ 80)

Preço no Brasil: dificilmente você o encontra no Brasil. Quando chega aqui, passa dos R$ 200.

Terrunyo. Foto: Concha Y Toro

Terrunyo. Foto: Concha Y Toro

Está viajando e quer mais dicas de vinhos chilenos? O próximo post será sobre os vinhos brancos desse país! E aí tem muita surpresa! Porque, pessoalmente, gosto mais dos chilenos brancos do que dos tintos!

Abraços!

Bruno Rodrigues.

enoturismo-bruno

comments2

Anúncios

15 comentários em “4 vinhos tintos imperdíveis com ótimo custo-benefício para comprar no Chile

  1. Amei as dicas. Muito úteis. Estou aguardando as próximas! !!

  2. Pingback: 5 vinhos brancos chilenos imperdíveis para trazer na mala! | Giros Por Aí

  3. Parabéns pelo Site! Muito bom!
    Não sou um bom conhecedor de vinhos mas os amo.
    Vou ao chile semana que vem e estava pesquisando alguns vinhos meus amigos me indicaram dois com preços acessíveis

    Santa Helena – Seleciona del directório – gran reserva – Carmenère 2012
    Miguel Torres – Gran Reserva – cabernet sauvignom 2011
    Vinedo Chadwick 2006 (ocasiões especiais)

    Me aconselharia mais alguns? Esses são bons?

    • Rafael, tudo depende de quanto você quer gastar. Como mencionei no post, acredito que vale comprar vinhos no Chile que custam o mesmo que você costuma pagar aqui. Ou seja, se aqui você gasta em média 40 reais em uma garrafa, procure gastar o mesmo por lá e você vai acabar comprando excelentes vinhos!
      Sobre a lista, o Chadwick é um vinho de mais de 300usd! Não acho que vale! Santa Helena você encontra com certa facilidade por aqui, então procure explorar outras opções! Veja todos os nossos posts na seção de Gastronomia / Enoturismo aqui no Giros Por Aí que você encontrará mais opções! Boa viagem e encha a mala de vinho!!!

  4. Adorei as dicas!! E o post sobre as vinícolas em CasaBlanca?
    E a vinícola Santa Rita? Vale a pena?

    • Oi, Luciana! O Bruno, que escreveu o post, disse o seguinte: sobre as vinícolas em CasaBlanca as mais legais são Indomita, Emiliana, Matetic e Casas del Bosque. Gosto também da Casa Marin, mas ela fica no Valle do San Antonio – que é perto do Casa Blanca”. Espero que ajude!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: