Viagem de carro por Portugal, 1a. parte: Sintra, Óbidos e Coimbra

Quando traçamos o itinerário da volta ao mundo, Portugal acabou ficando de fora. Tinha muito vontade de conhecer o país e vivenciar o Festival de Vinho da Ilha da Madeira, que parecia imperdível nas páginas do livro As Melhores Viagens do Mundo, grande inspiração para meu ano sabático. Mas, sabe como é, como o orçamento e o tempo eram limitados, a lista dos países também teria que ser.

Pouco mais de dois anos depois de retornar ao Brasil, ganhamos um bom incentivo para finalmente conhecermos a pátria lusitana: a recém-conquistada cidadania portuguesa do Guico, meu marido. Foi complicado tentar encaixar todas as cidades legais em apenas duas semanas, mas viajando pelo país de carro, conseguimos traçar um bom trajeto: Sintra, Óbidos, Coimbra, Porto, Guimarães, Ilha da Madeira (sim, para participar do festival!), Lisboa e Évora (e quem sabe alguma outra cidade no Alentejo). As praias em Algarve ficaram para uma próxima vez, mas pelo menos já temos uma boa razão para voltar.

Infelizmente, fizemos uma péssima viagem, o que tristemente tem virado rotina. Adoramos viajar, mas os aeroportos caóticos, péssimo serviço das companhias aéreas brasileiras e assentos sardinha nas aeronaves tornam a experiência até o destino um martírio. Nosso voo da British Airways atrasou mais de três horas, fazendo com que perdêssemos a conexão para Lisboa em Londres, e a TAM – companhia parceira com quem reservamos os tickets – não moveu um dedo para nos ajudar. Enfim, da hora que embarcamos em Curitiba, demoramos 32 horas para pousar na capital portuguesa. O bagaço da laranja era miss perto da gente!

Depois de uma noite bem dormida em um Holiday Inn perto do aeroporto, buscamos nosso carro alugado pela manhã e partimos em direção a Porto, no norte do país. Chegar a Sintra, a primeira parada a 27 km de Lisboa, foi muito tranquilo. Além das distâncias serem curtas, as estradas portuguesas são amplas, bem sinalizadas e estão quase sempre vazias, um delícia de dirigir! Para facilitar ainda mais, recomendamos baixar o aplicativo Genius Maps, um GPS que não precisa de internet para funcionar! É só usar o iphone para obter as direções em tempo real, lembrando que é melhor retirar o chip para não gastar fortunas na conta quando chegar ao Brasil (obs: o celular não pode estar em modo avião, ou não funciona direito). É super prático e gratuito!

Centro bonitinho de Sintra

Centro bonitinho de Sintra

Sintra é uma daquelas cidadezinhas charmosas da Europa que parecem set de algum filme antigo. O centrinho é minúsculo, bom para caminhar pelas várias lojinhas e confeitarias vendendo doces típicos. Aproveite e prove a queijadinha e o travesseiro com um café, de preferência na Pastelaria Piriquita, a doceria mais tradicional da cidade inaugurada em 1850! Ali perto também fica o escritório de turismo, onde você pode pegar um mapa e comprar tickets combinados para a maioria dos castelos.

Decoração em azulejo de casa em Sintra

Decoração em azulejo de casa em Sintra

Se você tem somente um dia em Sintra, terá que escolher entre as várias atrações da cidade. Nós decidimos pelas três mais imponentes: o Palácio da Pena, o Castelo dos Mouros e a Quinta da Regaleira. Começamos o passeio pela Quinta (6 euros/pessoa, não participa de nenhum combo de ingressos), que também acabou sendo a nossa atração preferida. Com muitos símbolos relacionados à maçonaria, à ordem dos templários e à alquimia, esse lindo palácio e seu bosque impressionante foram construídos pelo brasileiro Carvalho Monteiro, que retornou ao país de seus pais para estudar e acabou ficando. A Quinta possui túneis e passagens secretas, além de uma linda arquitetura neomanuelina (estilo romântico português) que são interesantíssimas e únicas desse sítio histórico.

Uma das passagens misteriosas da Quinta da Regaleira

Uma das passagens misteriosas da Quinta da Regaleira

Com o ingresso combinado em mãos (18 euros/pessoa), seguimos então para o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros, localizados um de frente para o outro. Considerado uma das Sete Maravilhas de Portugal, o Castelo da Pena tem uma fachada colorida que mistura vários estilos, como o neogótico, o neomanuelino, o neo-islâmico e o neo-renascentista. Em suas salas, há um acervo de objetos históricos interessantes, mas que em nossa opinião ainda perdem no quesito “exuberância” para seu exterior carnavalesco. Já o Castelo dos Mouros é mais pobre em informações, porém a paisagem esverdeada contra o esqueleto de pedra do castelo (somente as paredes sobreviveram aos anos), nos lembrou uma muralha da China em miniatura, ótimo cenário para fotos!

Banheiro séc XIV. Antes disso a nobreza só lavava o que "dava para ver."

Banheiro séc XIV. Antes disso a nobreza só lavava o que “dava para ver.”

Fachada do Castelo da Pena

Fachada do Castelo da Pena

Castelo dos Mouros

Castelo dos Mouros

Antes de partirmos para Óbidos, a próxima cidade no itinerário onde passaríamos à noite, resolvemos fazer um pit stop no Cabo da Roca, o ponto mais a oeste da Europa continental. A ventania e a força da água contra a encosta são incríveis! Você realmente consegue entender como as velas das caravelas portuguesas funcionavam! Acho que se uma pessoa abrir uma guarda-chuva ali, chega ao Brasil em poucas horas (dica: leve um casaco. Para as mulheres com cabelos compridos é bom prender as madeixas também).

Farol no Cabo da Roca

Farol no Cabo da Roca

Vista Cabo da Roca

Vista Cabo da Roca

Os 120 quilômetros das falésias até a cidade murada de Óbidos passaram rápido. Por ser um centrinho bem pequeno, meio dia é suficiente para conhecer tudo, a não ser que você resolva usá-lo como base para visitar as cidades ao redor, como Batalha, Alcobaça e Fátima. Dentro de suas paredes de pedra, estão apenas 95 construções com faixas em azul ou amarelo na fachada (cores da bandeira municipal), incluindo casas, hotéis, igrejas e restaurantes. A antiga cidadela foi reconquistada dos mouros por volta de 1.200, tendo sido presenteada posteriormente a Isabel de Aragão por seu futuro marido, o rei Dinis. O antigo Castelo de Óbidos, hoje uma pousada de charme, é inclusive considerado umas das Sete Maravilhas de Portugal! Mas há mais o que visitar na vila antiga. Decorado com azulejos azuis simbolizando a paixão de Cristo, o próprio Portal da Vila, a entrada oficial para a cidade, já é um marco. Saindo dali e continuando pela Rua Direita, o caminho salpicado de lojas de artesanato chegará naturalmente a Igreja de Santa Maria, onde D. Afonso V casou-se com sua prima Isabel no século XV, quando ambos tinham apenas 15 anos. Vale dar uma espiadinha em seu interior decorado com mais azulejos azulados e pinturas de anjos morenos no teto, para depois subir a muralha e apreciar a vista. Ah! E não volte para a estrada antes de provar a Ginginha, um licor de ginja (um tipo de cereja) servido em copo de chocolate (geralmente custa 1 euro).

Castelo de Óbidos

Castelo de Óbidos

Casas amarelas e azuis em Óbidos

Casas amarelas e azuis em Óbidos

Licor de ginja com copo de chocolate

Licor de ginja com copo de chocolate

Deixamos Óbidos antes do almoço e 135 km depois encontramos Coimbra, conhecida como a “cidade do conhecimento” pelos portugueses. Com esse apelido, não é de surpreender que a atração principal da cidade seja a universidade, datada de 1.308 (uma das mais antigas do mundo), e a Biblioteca Joanina, uma verdadeira caixa-forte climática em estilo rococó que abriga obras de grande importância histórica, como a primeira edição de Os Lusíadas (9 euros/pessoa para ambas atrações). As duas estruturas são realmente bonitas, mas eu esperava mais informações sobre a faculdade em si. Mesmo assim, foi gostoso passear pela região da baixa, onde ficam a maioria dos barzinhos universitários, casas de fado e docerias deliciosas como A Brasileira, que desde 1928 serve iguarias locais. Nós adoramos a “barriga de freira” e os pastéis de Santa Clara. Resolvemos experimentar também dois pratos famosos da região em outro restaurante, o bacalhau lagareiro e o porco preto, mas desconfio que não escolhemos bem o local, pois achamos o tempero um pouco sem graça.

Universidade de Coimbra

Universidade de Coimbra

Entrada Biblioteca Joanina

Entrada Biblioteca Joanina

Artesanato feito de cortiça em Coimbra

Artesanato feito de cortiça em Coimbra

Até agora, percebemos que muitos pratos portugueses são feitos de uma maneira mais simples e saudável, utilizando o fogo à brasa e pouco sal. O mesmo não pode ser dito de seus doces, a maioria criação de freiras que no passado usavam clara de ovo para engomar suas tocas e as camisas dos padres, sobrando assim várias gemas para invenções culinárias. O resultado é espetacular! Doces úmidos e ricos em sabor que casam perfeitamente com um café a qualquer hora do dia.

Assim, seguimos viagem em direção ao ponto mais ao norte do nosso itinerário, a cidade do Porto! Temos muitas expectativas sobre a capital do vinho e da igreja portuguesa, o destino mais recomendado por nossos amigos que vieram a Portugal. Se é tudo isso? Contamos em breve. Primeiro temos alguns dias de descoberta pela frente, ora pois!

 

OUTRAS INFORMAÇÕES:

  • Para chegar até Sintra de Lisboa, pegue um trem que sai a cada meia hora da estação Rossio (3,60 euros). Caso tenha comprado o cartão de transporte público na capital, o Lisboa Card, pode utilizá-lo para ir até Sintra gratuitamente.
  • Óbidos: Para hospedagem, ficamos na Albergaria Josefa de Óbidos, um hotel 3 estrelas colado na entrada da cidade murada que oferece um farto café da manhã, quartos amplos (tem até ante sala!) e wifi gratuito por 70 euros/quarto (agendado no booking.com). Se você está sem carro, uma boa opção é pegar um ônibus de Lisboa até Óbidos, que sai da estação Campo Verde com a companhia Rodotejo (demora cerca de uma hora e custa 8 euros). Uma ótima opção onde comer, recomendada por um português e pelo Trip Advisor, é o Tasca Torta, na Rua Direita.
  • Aqui tem uma lista completa das atrações em Coimbra, criada por alguém que mora lá! O jeito mais fácil de chegar a Coimbra de Lisboa é de trem. Sai a cada hora da estação Entrecampos e chega em 2 horas e quinze minutos (30 euros).
  • No fim da viagem, postarei um texto com todas as informações sobre dirigir em Portugal: preços, pedágios etc.

 

comments2

Anúncios

14 comentários em “Viagem de carro por Portugal, 1a. parte: Sintra, Óbidos e Coimbra

  1. Olá, como vai? Adorei as dicas!!! Anotei aqui!
    Estamos com o roteiro apertado e gostaria de pedir uma dica, ficaremos hospedados em Lisboa e temos interesse em conhecer no mesmo dia Sintra e Óbidos, você acha possível? Tem alguma dica sobre esse roteiro?
    Obrigada!!!

    • Oi, Natalia! Eu acho um pouco apertado porque Sintra tem bastante coisa para ver… Já Óbidos pode ser meio dia junto com outra cidade.

  2. Olá. Poderia me auxiliar? Desejamos conhecer Portugal, alugando um carro, saindo de Lisboa, passando por duas pequenas vilas Tentugal e Arazede (origem de meus avós), e Coimbra, indo até Porto e retornando para Lisboa. Poderia me dar algumas dicas de que visitar? O tempo será em torno de oito dias, no final de maio. Obrigado.

    • Olá, Humberto! 8 dias é um pouco corrido para tudo o que você quer fazer… Portugal é um país pequeno, porém tem muita coisa legal para ver. Como você já irá para Coimbra e adjacências e depois para Porto, sugiro visitar Lisboa, Cascais, Sintra, Óbidos, Coimbra (e outras cidades mencionadas) e por fim Porto. Aqui estão os relatos da minha viagem por esses lugares: https://girosporai.com.br/?s=portugal&submit=Ir Um abraço!

  3. Gostei muito do jeito que você descreve a viagem, com detalhes e fotos.
    Você tem uma dica de hotel em Lisboa bem localizado, legal e não tão caro?
    E o resto de sua viagem? Não achei a 2a. parte e tampouco o post sobre as estradas e pedágios.

  4. Olá, gostei muito do roteiro, estou planejando o meu e esta bem parecido.
    Sobre a pousada Josefa D’Obidos, nao tem estacionamento (pelo que vi no booking).
    Estaremos de carro, mas nao sabemos onde iremos parar e se sera caro. Você parou o carro aonde?
    Obrigada!!

  5. Boa noite. Nós leitores, agradecemos as suas dicas que são maravilhosas! Pretendo passar entre 12 e 14 dias em Portugal alugando um carro (talvez 4 ou 6 pesosas), conhecendo Porto (passeio de barco de 1 dia pelo Douro), Lisboa, Fátima, Algarve, Estoril, Serra da Estrela, Aveiro, Ovar, Óbidos, Coimbra, Cascais, Sintra, Cabo da Roca, Cabo de São Vicente e Alentejo. Acho que são muitos lugares para poucos dias, o que você me recomenda? Pretendo ir no mês de junho ou setembro, talvez em 2018 ou 2019.
    Grato

    • Olá, José! 12 a 14 dias é um pouco corrido para tudo o que você quer fazer… Portugal é um país pequeno, porém tem muita coisa legal para ver. 1 dia para o Porto não é nem de longe suficiente, ficaria pelo menos uns 3! Talvez fosse melhor fazer Lisboa e adjacências – sintra, Cascais etc, até Coimbra e Óbidos) e depois ir na direção das praias (por ser verão) e lá ficar. Alentejo é grande e em outra direção e o Porto fica longe de todos os outros lugares mencionados. Aqui estão os relatos da minha viagem por esses lugares: https://girosporai.com.br/?s=portugal&submit=Ir Um abraço!

  6. Boa noite,gostaria que me ajudasse a fazer o roteiro à partir de Óbidos até o Porto mais Santiago de Compostela.Vou ficar 10 dias a mais saindo de Óbidos no dia 31/07 e gostaria que me desse algumas dicas de cidades que poderei percorrer até o Porto,quero também conhecer os vinhedos.

    • Olá, Fátima. Eu não passei por outras cidades, a não ser essas no roteiro. Você pode conhecer Coimbra e Guimarães, ao lado de Porto. E Porto vale uns 4 dias.

  7. Oi,vou a Portugal em julho e a Óbidos entre os dias 26/07 a 31/07.Partindo de Óbidos eu não sei que cidades visitar até chegar ao Porto,pode me dá algumas dicas de cidades a caminho do Porto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: