Tour gastronômico: 5 feiras de rua em Curitiba

Já dizia o celebrado chef americano Paul Prudhomme, “você não precisa de uma garfo de prata para comer bem.” Eu arrisco corrigi-lo, você nem precisa de garfo.

Viajando por tantos países, muitas vezes a comida mais autêntica que encontro vem de lugares despretensiosos, como um pequeno bistrô, a casa de alguém, ou as agitadas feirinhas de rua. Claro, já comi maravilhosamente bem em restaurantes premiados, mas também já fui muito bem surpreendida por barraquinhas vendendo quitutes no meio da rua.

Talvez por isso eu seja fã de feiras gastronômicas. Você encontra pratos saborosos por apenas alguns trocados em um ambiente popular onde se vê de tudo, crianças, namorados, profissionais que acabaram de sair do escritório etc. Além disso, as iguarias oferecidas costumam refletir as influências dos imigrantes que contam a história da cidade. Em Curitiba, por exemplo, você sempre acha sabores da Polônia, Itália, países asiáticos, entre outros.

Como tudo isso fica aqui do lado, resolvi conhecer algumas feiras da cidade para passar dicas para quem planeja uma visita à Curitiba, ou para pessoas que, assim como eu, só querem viajar por onde moram (adoro minhas desculpas para sair comendo por aí!). Ah! E pode comer sem medo. A vigilância sanitária é extremamente rígida com os feirantes locais. Pela exigência ser tão alta, aliás, é que os food trucks estão demorando a chegar por aqui. Uma última dica: leve dinheiro! Embora muitas barraquinhas aceitem cartão, a maioria ainda funciona somente com dinheiro em espécie! Finalmente, aqui está ele, um post com 5 feirinhas gastronômicas legais em Curitiba para você se esbaldar!

FEIRA DO HUGO LANGE.  (Na Rua Rodrigo Otávio, esquina com a Rua Augusto Stresser. Funciona às quartas-feiras, das 17h às 22h).

Era uma quarta-feira friorenta, fazendo com que alguns feirantes não aparecessem. Mesmo assim, eu e o Guico gostamos do clima de bairro do Hugo Lange. Crianças brincavam de pega, senhoras faziam compras nas duas barraquinhas de legumes  (o resto da feira é só de comida pronta) e nós íamos de um lado para outro sem saber por onde começar.

Por causa da baixa temperatura, passamos primeiro na barraquinha de quentão (R$ 4,00). Hummm… Eu adoro o quentão do sul, que é feito com vinho em vez de cachaça, usada na receita capixaba. Bebida em mãos, hora de começar a degustação!

O que provamos e gostamos: empada assada boliviana de bacalhau (R$ 6,00), empada assada chilena de carne (R$ 7,00 – essa era maior), pastel de queijo e presunto (R$ 4,00), sanduíche de prosciutto (R$ 5,50), espetinhos de alcatra (R$ 4,00 – tinha de pernil e outros itens também) e um kürtőskalács de chocolate (calma, eu conto o que é mais abaixo).

O que vimos, mas não cabia no estômago: delícias feitas com aipim, chocolate quente com marshmallow (R$ 3,50), sanduíche de polpetta de alcatra com tempero italiano (R$ 11,00), pudim e pães feitos com milho, acarajé e tapioca, comida mineira e pierogi (massa polonesa).

Destaque: Eu nunca comi pão húngaro, então encontrar uma food truck especializada em kürtőskalács foi uma ótima surpresa! A Ana Paula, ex-professora curitibana, conheceu essa delícia em sua viagem sabática pelo leste europeu. Quando voltou à cidade, não teve dúvida, largou o emprego e trouxe uma máquina própria para confecção do pãozinho para cá. O kurtos é um tipo de pão doce bem fino, assado na hora em uma fôrma que o deixa oco por dentro, com o formato de um cano. Por fora, a massa ganha pinceladas de açúcar que caramelizam, deixando-o dourado e docinho. Depois, é só escolher o complemento: chocolate, canela e açúcar, parmesão com chocolate, coco e farofa de amendoim. No frio que estava fazendo, não poderíamos ter experimentado nada melhor! Quer provar? Siga a Kurtos Kalacs! Eles sempre postam novidades. (Você também consegue achá-los na Feira da Ucrânia).

Barraquinhas da Feira Hugo Lange

Barraquinhas da Feira Hugo Lange

Ana Paula e o food truck de Kurtos Kalacs

Ana Paula e o food truck de Kurtos Kalacs

Plaquinha mostrando o pão húngaro.

Plaquinha mostrando o pão húngaro.

FEIRA NOTURNA DO ÁGUA VERDE (Na Rua Brasílio Ovídio da Costa, entre a Rua Guararapes e a Avenida República Argentina. Funciona às quintas-feiras, das 17h às 22h).

Como no Hugo Lange, há somente duas bancas de “feira livre de verdade”, uma de frutas e outra de legumes. Perto da Av. República Argentina também há um trailer bem caprichado com queijos e embutidos, onde vale parar e levar alguma coisa para casa depois que a comilança terminar.

No restante das barraquinhas, o foco é o que há de melhor de comida de rua. Ainda estava bem frio, mas a rua estava lotada, atestando pela qualidade dos vendedores! Como no dia anterior, começamos com um quentão (R$ 3,00) e nos perdemos pelas banquinhas de comida.

O que provamos e gostamos: bolinho de bacalhau português (R$ 3,50), empanada frita argentina de carne (R$ 5,00), espetinho de picanha (R$ 4-5), fogazza de pernil com parmesão (você escolhe até três complementos – R$ 10,00), lelê de milho (torta de milho – R$ 5,00) e bolinho de aipim com carne de sol e queijo (R$ 6,00).

O que vimos, mas não cabia no estômago: batata suíça (R$ 15,00), crepes doces (feitos na máquina, não em estilo francês – R$ 4,00), pães artesanais, bandejas com sushi, acarajé e cocada, pierogi (massa polonesa), pastel e outros salgados fritos, sanduíche quatro queijos (comemos e contamos o que é na feira da Praça da Ucrânia).

Destaque: A barraquinha Delícias do Aipim, comandada há 24 anos por Cecília Alcântara, foi indicada ao prêmio de destaque gastronômico da cidade pela revista Veja em 2013. A especialidade é o bolinho de aipim, que pode levar vários tipos de recheio (adoramos o de carne de sol com queijo cremoso por R$ 6,00). No cardápio há outras opções com o ingrediente, como a sopa com linguiça e o escondidinho de carne de sol (R$ 14,00). (Você consegue achá-los em todas as feiras citadas nesse post.)

Trailer de queijo e embutidos no final da rua

Trailer de queijo e embutidos no final da rua

Famosa "Delícias do Aipim" presente em várias feiras de Curitiba

Famosa “Delícias do Aipim” presente em várias feiras de Curitiba

Saboreando uma (enorme) fogazza!

Saboreando uma (enorme) fogazza!

FEIRA NOTURNA DA PRAÇA DA UCRÂNIA (Na Praça da Ucrânia, esquina da Rua Padre Anchieta com a Rua Cândido Hartmann. Funciona às sextas-feiras das 17h às 22h).

É bom chegar cedo, pois a feirinha da Praça da Ucrânia fica bem cheia. Sabe como é, o povo não vê a hora de começar o final de semana, então já sai do trabalho e dá uma passadinha na praça antes de ir para casa.

Essa é uma das feiras com mais barraquinhas e com uma presença internacional mais variada, oferecendo comida alemã, japonesa, portuguesa, polonesa e mexicana. Embora ainda acessíveis, os preços são um pouco mais altos que nas feiras do Hugo Lange e Água Verde.

O que provamos e gostamos: bolinho de siri e de camarão da Barraquinha do Victor (versão “comida de feira” do famoso restaurante – R$ 7,00/cada), taco chilango de carne e burrito de frango da barraca IMex (R$ 7,00/cada), sanduíche de salsicha Blumenau da barraca alemã Currytiba Wurst (R$ 10,00), sanduíche 4 queijos de linguiça defumada (são quatro queijos fundidos na chapa, onde depois é adicionado a carne de sua preferência – R$ 12,00), bombom de dois amores e de paçoca (R$ 2,00/cada).

O que vimos, mas não cabia no estômago: acarajé e tapioca, bolinho de bacalhau, sonho, comida japonesa, kurtos kalacs, empanadas argentinas e de outros países, pratos feitos com milho, delícias de aipim, sanduíche de alcatra com tempero italiano, crepes doces (de máquina, não em estilo francês), waffles doces, pastel frito e outros salgados, espetinho de carnes variadas e um carro com pão artesanal.

Destaque: A barraca alemã Currytiba Wurst realmente nos surpreendeu! O sanduíche Blumenau (linguiça Blumenau, pão cervejinha, queijo cheddar, picles e mostarda preta) estava delicioso e eles ainda oferecem outras opções típicas, como leberkäse, himmel und erde e curry wurst (você pode não saber o que é, mas vale a pena provar), além de pratos vegetarianos e chopp Wensky claro e escuro. (Você também consegue achá-los na Feira da Praça do Batel).

Casal curtindo a feira da Praça da Ucrânia em Curitiba

Casal curtindo a feira da Praça da Ucrânia em Curitiba

Barraquiinha do Currytiba Wurst, sanduíche espetacular!

Barraquiinha do Currytiba Wurst, sanduíche espetacular!

Fundindo os queijos para o sanduíche 4 queijos

Fundindo os queijos para o sanduíche 4 queijos

FEIRA DA PRAÇA DO BATEL. (Na Rua Carneiro Lobo, entre a Rua Visconde de Guarapuava e a Avenida do Batel. Funciona aos sábados das 12h às 21h).

Eu tenho uma relação especial com essa feira. Foi aqui, no final de 2006, que eu e meu marido saímos pela primeira vez. Em vez de me levar para algum lugar batido, nós fomos para lá em uma tarde de sol, sentamos em cadeiras de plástico e ficamos conversando enquanto comíamos um sanduíche de pernil. Uma saída relax, bem no clima viajante (não foi à toa que casei com ele! Rs.)

Com o período mais longo de funcionamento de todas as feiras, a do Batel é inteiramente gastronômica, perfeita para você passar o sábado inteiro por lá, visitando as 21 barraquinhas de comidas típicas.

O que provamos e gostamos: pierogi recheado de ricotta (mais ou menos R$ 10 pelo prato com molho a sua escolha), o meu saudoso sanduíche de pernil (R$ 10,00 no trailer de comida mineira, serve pratos prontos com couve, carne e tutu também), fettuccine integral com molho à bolonhesa (R$ 15,00, do carrinho da Massa Macia), tapioca de doce de leite com coco (R$ 6,00 na Barraca da Amazônia) e quentão (R$ 3,00).

O que vimos, mas não cabia no estômago: bolinho de bacalhau (R$ 4,00), waffle doce, acarajé, comida mexicana, sanduíches alemãs, bombons, empanada chilena e de outros países, delícias de aipim, doces feitos com milho, espetinhos de carnes variadas, pastel e outros salgados.

Destaque: O Pierogi do Miro serve desde 1989 essa típica massa polonesa, que é recheada e servida com molho. Quem comanda a produção e o atendimento é uma família de imigrantes que desembarcou em Curitiba em 1981, trazendo técnicas culinárias e sabores da Polônia. O prato é farto e perfeito para o inverno!

Barraquinhas da Feira da Praça do Batel

Barraquinhas da Feira da Praça do Batel

Vendo o preparo do meu saudoso sanduíche de pernil

Vendo o preparo do meu saudoso sanduíche de pernil

Peirogi quentinho!

Peirogi quentinho!

FEIRA DO LARGO DA ORDEM. (Fica na Rua São Francisco, um espaço somente para pedestres, carros não entram ali. Funciona aos domingos, das 9h às 14h).

Localizada em uma rua de pedestres no centro, a feirinha do Largo da Ordem é um dos espaços multiculturais mais tradicionais de Curitiba. O espaço é enorme, com diversas barraquinhas vendendo antiguidades, artesanato, livros e CDs usados, roupas, acessórios e, como não poderia faltar, comida.

Para quem não conhece a cidade, é bom deixar um tempinho para passear pelo centro histórico, passando pela Igreja da Ordem, pelo Memorial de Curitiba e pela Casa Romário Martins (considerada a mais velha da cidade). Fazia tempo que eu não passava por aqui! Foi ótimo relembrar o quanto Curitiba é bonita e limpa, um dos centros mais bem cuidados do Brasil.

O que provamos e gostamos: acarajé (R$ 10,00), queijo coalho na chapa (R$ 4,00) e bombons (R$ 2,50).

O que vimos, mas não cabia no estômago: tapioca, pierogi, pastel e salgados assados, empanadas argentinas e de vários países, tacos e burritos, comida mineira, bolinho de bacalhau (ou de  camarão/carne seca), piadina (um sanduíche italiano – R$ 11,00/médio, R$ 13,00/grande).

Destaque: a barraca Acarajé e Tapioca também serve moquecas de camarão e de peixe por R$ 15,00. O prato é farto para uma pessoa, e uma das poucas opções de almoço (e não lanche) no espaço.

Feira de domingo do Largo da Ordem

Feira de domingo do Largo da Ordem

Fonte marco do Largo da Ordem e araucárias atrás. Mas curitibano impossível.

Fonte da Memória, marco do Largo da Ordem e araucárias atrás. Mais curitibano impossível.

O primeiro acarajé a gente nunca esquece! Rs.

O primeiro acarajé a gente nunca esquece! Rs.

OUTRAS INFORMAÇÕES:

Muitas das barraquinhas participam de duas a três feiras em Curitiba. Se você ficar com desejo de experimentar uma comida específica, verifique online os locais onde feirante estará e escolha aquele que fica mais perto de você.

Quer saber mais sobre as feiras de Curitiba? Tem algumas informações no site da prefeitura.

comments2

Anúncios

4 comentários em “Tour gastronômico: 5 feiras de rua em Curitiba

  1. Ótimas dicas de feiras, só faltou comentar mais opções vegetarianas!!

    • Oi, Camila! Pois é, apesar de não ser vegetariana, sempre tento pesquisar opções do tipo. Dessa vez esqueci! Rs. Uma boa razão para voltar… heheheh

  2. Boa tarde! Estive em Curitiba há 2 semanas, e vim agradecer, pois suas informações me ajudaram muito!! Muito obrigada!

    • Oi, Deb! Que bom que as informações ajudaram! Espero que tenha gostado da cidade!!! Volte mais vezes! Sempre que precisar, estou às ordens! bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: