Gramado, Canela e Bento Gonçalves: a Serra Gaúcha é demais!

Então dia 12 de junho é um dia muito importante. Dia dos namorados? Início da copa do mundo? Não, meu aniversário. E como o que eu mais gosto nessa vida é viajar, a comemoração esse ano foi em família em um destino nacional que ainda não conhecia: a Serra Gaúcha.

Programamos uma viagem curta, com apenas três dias gostosos e gordinhos entre Gramado, Bento Gonçalves e Canela. Como não ficaríamos somente em uma cidade, resolvemos alugar um carro em Porto Alegre, mas para quem for visitar somente um lugar é mais prático pegar um ônibus executivo, que sai do aeroporto Salgado Filho praticamente a cada hora, chegando em Gramado em 2h e meia (a passagem custa R$ 33,20).

Assim que chegamos, largamos as malas no hotel e fomos caminhar pela Avenida Borges de Medeiros, a principal via da cidade, cheia de lojinhas lindas naquele estilo alemão de casa de boneca, a arquitetura enxaimel. Começamos a caminhada pela ponta perto da rodoviária, pois tínhamos ouvido falar muito bem da Casa do Colono, um empório com biscoitos, geleias, salames e outros produtos de 15 colônias italianas e alemãs da região, além de pães e cucas assadas ali mesmo, no forno à lenha anexo à loja (às quartas, sextas e aos domingos dá para acompanhar a produção e levar os quitutes ainda quentinhos). Mal tínhamos chegado e as gordices já estavam a toda! Compramos uma cuca de chocolate (R$ 3,00), um pão com recheio de linguiça (R$ 2,00), e um quentão (R$ 3,00) e seguimos em frente.

Casa estilo enxaimel

Casa estilo enxaimel

Delícias Casa do Colono em Gramado

Delícias Casa do Colono em Gramado

Quitutes no forno à lenha da Casa do Colono

Quitutes no forno à lenha da Casa do Colono

Quase no meio da avenida encontramos um dos pontos turísticos principais da cidade, a Igreja São Pedro. A construção, que em 1917 era uma capela toda em madeira, foi inaugurada em 1943 com um revestimento de pedras basálticas, abundantes na serra gaúcha, e belos vitrais que marcam passagens da vida do apóstolo Pedro. A dúvida é se a igreja ficou famosa por sua arquitetura histórica e simbolismo, ou se pela Fonte do Amor localizada à sua direita, onde vários enamorados prendem aqueles cadeados que supostamente fazem o amor durar para sempre.

Igreja São Pedro

Igreja São Pedro

Vitrais igreja S. Pedro

Vitrais igreja S. Pedro

O certo é que o centrinho de Gramado não se resume a essa atração. Ali estão os melhores cafés, lojas de artigos de couro e a famosa Rua Coberta, onde centenas de turistas estouram o cartão de crédito todos os dias. Ah! Isso sem falar nas chocolaterias artesanais! Para onde você olha tem uma loja de chocolates com vitrines apetitosas. Mas não se empolgue cedo demais. Principalmente para os chocólatras, o legal é entrar e ir provando cada produto (todas oferecem amostras), deixando para comprar no final, quando você já tiver conhecido algumas lojas. Nós recomendamos passar na Planalto, nossa preferida, que além da loja-café mais para o final da Borges Medeiros, tem uma fábrica aberta à visitação na Rua João Carniel, atrás do Salão Super Carros. Se mesmo conhecendo todas as chocolaterias, você não tiver saciado a larica por chocolates, o jeito é voltar a Gramado para a Chocofest, considerada a maior páscoa do Brasil, com desfiles, um coelho de chocolate gigante, vários pontos de degustação e atividades voltadas para crianças.

Assim que saímos da Chocolates Planalto, o tempo virou. A chuva e uma névoa serrada tomaram a cidade em questões de minutos, o que é bastante comum nessa época do ano (ou seja, se o dia amanhecer ensolarado, veja todos os pontos turísticos primeiro). Se já era impossível enxergar o outro lado da rua, com certeza não conseguiríamos apreciar nenhuma outra atração da cidade até o tempo melhorar. Esperando um milagre de São Pedro,  resolvemos adiantar o almoço no tradicional Otto Restaurante, uma das maiores expectativas gastronômicas da viagem.

Neblina pesada em Gramado

Neblina pesada em Gramado

Hotel Rita Hopper onde fica o Otto Restaurante

Hotel Rita Hopper onde fica o Otto Restaurante

O Otto, situado dentro do belíssimo Hotel Rita Höppner, encanta os visitantes com uma cozinha alemã de primeira, considerada a melhor da região no Trip Advisor. O combinado “Culinária Alemã” é um ótimo custo-benefício, oferecendo uma entrada (salada, maionese e salsicha bock), um prato principal (bisteca suína, joelho de porco, pato ao molho de frutas vermelhas ou schnitzel – filé suíno à milanesa) e uma sobremesa por R$ 54,00. Eu escolhi o pato que estava pecaminosamente bom!

Além da influência germânica, a gastronomia de Gramado gira em torno da comida italiana (o “galeto ao primo canto” é seu prato mais procurado), das casas de fondue e do exagerado café colonial, que leva à mesa mais de 80 variedades de doces, salgados e bebidas, em uma miscelânea de receitas de diversos cantos do mundo (eles servem de bisteca de porco a quindim). Escolhemos passar por essa orgia no Café Bela Vista (R$63,80 por pessoa, inclui bebidas), recomendado como o melhor café colonial da cidade (há duas unidades, mas a que fica perto do Super Carros tem um ambiente mais agradável). Concordo que precisávamos vivenciar essa experiência típica, mas a quantidade de comida ingerida e desperdiçada não é bem minha praia. Em uma próxima vez, irei somente a algum cafezinho local mesmo.

Café Colonial Bela Vista

Café Colonial Bela Vista

Para queimar as mil calorias oferecidas pela cidade e ainda se divertir com algo inesperado, vá ao Snowland. Inaugurado em outubro de 2013, o primeiro parque de neve indoor das Américas recria um vilarejo alpino, com direito a pista de patinação no gelo e de esqui/snowboard indoor de 120 metros. Se você nunca viu neve antes, muito menos colocou um esqui no pé, não tem problema, dá para fazer aulas antes de se aventurar “montanha” abaixo (R$ 55,00 por 50 minutos, já com equipamento). A entrada do parque custa R$ 78,00 (em dinheiro ou cartão de débito) e inclui roupa para os esportes (jaquetas térmicas, calçados, luvas etc), 30 minutos de patinação no gelo, 2 horas na montanha (seja para esquiar, deslizar com boias na neve ou fazer snowboard) e acesso a área comum do parque: restaurantes, lojas, armários (R$ 10,00 para o dia inteiro) e afins. O aluguel do equipamento custa mais R$ 35 para quem não quiser fazer aula, mas você pode economizar acessando o site do Hotel Urbano e do Groupon, que sempre oferecem descontos no ingresso, bem como pacotes promocionais para o parque. As quatro horas que ficamos por lá foram bem engraçadas, nem vimos o tempo ou a chuva passarem! Para evitar as filas imensas, chegue bem cedo ou por volta das 16 horas, quando o local começa a esvaziar, já que o último horário de entrada é às 17:30 (o parque fecha às 21 horas).

Mapa Snowland

Mapa Snowland

Pista de Patinação no Gelo Snowland

Pista de Patinação no Gelo Snowland

Infelizmente, as calorias gastas tentando engatar no snowboard não foram suficientes para cobrir a experiência gastronômica do nosso segundo dia de viagem, um passeio pelas maiores vinícolas de Bento Gonçalves, região que obteve em 2007 o Selo de Denominação de Origem Controlada reconhecido pela União Europeia. Agendamos o Tour Gran Reserva com a agência Mundo do Vinho, que por R$ 99,00/pessoa nos levaria para conhecer quatro casas produtoras do Vale dos Vinhedos: a Miolo, a Don Laurindo, a Casa Valduga e a Salton (não inclui almoço ou as taxas de visitação para a Miolo – R$ 15 revertidos em compras – ou para a Casa Valduga, R$ 20 reais que incluem uma taça de cristal).

Apenas 130 km separam Gramado de Bento Gonçalves, porém a estradinha que liga as duas cidades só tem uma faixa e serpenteia bastante, fazendo com que o trajeto demore mais de duas horas. A vantagem é que a paisagem é incrivelmente bonita, passando por Nova Petrópolis, de colonização alemã, por Carlos Barbosa, casa da Tramontina e do melhor outlet da marca (dos 25 mil habitantes, 4 mil são funcionários da empresa), e por outras cidadezinhas bucólicas.

Vinícola Salton

Vinícola Salton

Vinícola Miolo

Vinícola Miolo

Degustando vinho base. Blergh!

Degustando vinho base. Blergh!

Queria ter uma adega dessas!

Queria ter uma adega dessas!

Das quatro vinícolas, as mais cênicas e interessantes são a Miolo – onde degustamos mais vinhos premiados – e a Casa Valduga, que tem um salão para almoço espetacular, com um pé direito altíssimo e uma decoração rústica e elegante. Provar a deliciosa seleção de comida italiana sentada em uma mesa comprida disposta entre tonéis de madeira que já foram usados para fermentar o vinho da casa foi ainda mais especial. Isso sem falar no cardápio. Provamos massas artesanais, o melhor galeto da viagem, uma bisteca suína suculenta e saladas variadas por R$ 48,00/pessoa (as bebidas são à parte). A única coisa difícil foi conseguir ficar acordada para assistir o vídeo sobre produção de vinho logo após a refeição!

Salão Casa Valduga

Salão Casa Valduga

Mesa para almoço no salão Casa Valduga

Mesa para almoço no salão Casa Valduga

Com tanta degustação, achamos imprescindível marcar esse passeio com uma agência. Sim, você pode montar seu próprio roteiro e visitar as empresas por conta, mas voltar dirigindo na estrada sinuosa e coberta de neblina depois de um dia inteiro bebendo é pior que roleta-russa! Chegamos de volta a Gramado às 19:30, todos sem nenhuma condição de pegar o carro. Aliás, exatamente por dar importância a um vinhozinho durante as refeições e saber do perigo de suas estradas, é que os empresários gaúchos se juntaram, fornecendo vans que levam o turista dos hotéis em Gramado à maioria dos restaurantes na cidade e vice-versa. Uma excelente maneira de manter todo mundo feliz e vivo!

Em nosso última dia na Serra Gaúcha, tivemos uma ótima surpresa, a chegada do sol! Aproveitamos a presença do grande astro para visitar o Lago Negro, outro ponto turístico tradicional de Gramado, que tem uma história bem peculiar. O local, inicialmente conhecido por Vale do Bom Retiro, sofreu um incêndio que devastou a mata nativa. Avaliando os estragos, Leopoldo Rosenfeldt – administrador do patrimônio dos herdeiros da baronesa Joaquina Rita Bier, proprietários das terras na época – decidiu construir o lago em 1953, decorando suas margens com árvores importadas da Floresta Negra na Alemanha, assim mudando o nome do vale para Lago Negro. Achei os arredores do lago ótimos para uma corridinha ou quem sabe um picnic em família. Nas margens, também há empresas que alugam pedalinhos em forma de cisne que deixam a criançada enlouquecida.

Lago Negro - Gramado

Lago Negro – Gramado

De lá, partimos para Canela, que fica a somente 7 km de Gramado e parece vibrar com a chegada do inverno. A cidade ganha uma decoração especial durante a estação fria, incluindo um teto de guarda-chuvas coloridos suspensos pelas ruas principais. É muito gostoso passear pelas lojinhas da Av. Oswaldo Aranha, a principal via da cidade, que termina na Catedral de Pedra, uma linda igreja em estilo gótico, bem no centro de Canela. Fiquei impressionada com sua beleza, que me lembrou algumas igrejas europeias. A Praça da Matriz, base da catedral, é um dos pontos turísticos mais visitados do Rio Grande do Sul, com chocolaterias artesanais e uma biscoiteria com cookies que desmancham na boca, ótimos lugares para tomar um café e admirar a construção histórica.

Catedral de Pedra Canela

Catedral de Pedra Canela

Decoração Guarda-chuvas Canela

Decoração Guarda-chuvas Canela

Pertinho dali estão dois parques maravilhosos, que merecem uma parada. O primeiro é o Parque da Ferradura, que conta com uma estrutura simples e uma das vistas mais bonitas da região (R$ 10,00 em dinheiro). O melhor mirante para apreciar a paisagem fica do lado esquerdo (os do lado direito têm acesso mais difícil e a vista não é tão bela). Se você curte o contato com a natureza, programe-se para passar um dia de sol por lá, fazendo picnic, lendo etc. Há mesas com bancos, uma lanchonete e banheiros perto do estacionamento.

O segundo point imperdível é o Parque do Caracol, onde fica a impressionante Cascata do Caracol. Para os mais empolgados, há uma trilha por dentro do parque que culmina em uma escada de 934 degraus até praticamente a base da cascata. Como nosso grupo não tinha tanto tempo ou ânimo, optamos por fazer o passeio com os “bondinhos aéreos”, que oferecem uma vista panorâmica da queda d´água e o melhor ângulo para as fotos (R$ 36,00/pessoa, aceitam cartão de crédito).

Parque da Ferradura Canela

Parque da Ferradura Canela

Chegando no mirante da Cascata do Caracol de bondinho

Chegando ao mirante da Cascata do Caracol de bondinho

Arco-íris lindo na Cascata do Caracol em Canela

Arco-íris lindo na Cascata do Caracol em Canela

Nosso último dia estava passando rápido, já era quase hora de pegar estrada novamente e voltar para o aeroporto em Porto Alegre. Antes, no entanto, fomos almoçar no Alambique Flor do Vale, um restaurante de comida caseira que oferece visitação guiada à sua fábrica artesanal de cachaças e passeios na reserva ecológica Flor do Vale,  parque que emoldura o estabelecimento (o lugar é meio escondido, mas escrevi como chegar no final do texto). Os pontos altos do local são o tour pela área de envelhecimento do alambique, com degustação que ensina a reconhecer as cachaças em diferentes etapas de envelhecimento, e o “percurso do arqueiro”, preparado para a prática de tiros de balestra (R$ 15,00). Não é preciso falar, né? Se você quiser fazer as duas atividades, atire primeiro, beba depois!

Adorei viajar pela Serra Gaúcha! Há muito o que explorar, tanto em Gramado, como nas cidades vizinhas. É incrível como a região está bem preparada para o turismo, com atendimento exemplar, bons restaurantes e muitas opções para o ano inteiro: o Festival de Cinema de Gramado em agosto, a Chocofest na páscoa, os passeios para colheita da uva nas vinícolas de Bento Golçaves (de 10 de janeiro até final de março) e a temporada de inverno. Os gaúchos são espertos, criando sempre uma razão para você voltar. E te digo, depois da nossa viagem maravilhosa, você deve mesmo.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES:

– Rua Coberta: As lojas ficam abertas até às 19h, algumas até às 21h. Os cafés geralmente funcionam até à meia-noite. Na frente da rua está o Palácio dos Festivais e ao lado a Praça Major Nicoletti.

Dicas de Gramado e Canela atualizadas: Fique de olho! O grupo “Dicas de Gramado e Canela” no facebook e o Gramado Blog postam sempre as últimas promoções e eventos para você aproveitar o melhor de ambas cidades, não importa a época do ano.

Promoções de Restaurantes em Gramado: No site La Iguana há sempre ofertas para os restaurantes da região, com descontos de até 50%. Só leias as condições atentamente, já que alguns estabelecimentos só fazem promoção para o almoço. Caso queria averiguar a qualidade do restaurante anunciado, é só pesquisá-lo no Trip Advisor antes de comprar.

Hospedagem: Escolhemos o Hotel Bertoluci, localizado a 3,5 km do centro (como estávamos de carro, não tinha problema) e à mesma distância de Canela, sendo ótimo ponto de partida para visitar as duas cidades. A diária para o casal na suíte luxo normalmente custa R$ 260,00 com café da manhã, porém pagamos somente R$ 160 em uma promoção. O quarto é pequeno, mas aconchegante e o café da manhã estava muito bom. Outras opções legais para quem gosta de se hospedar mais no centro são: o Hotel Sky, com diárias de R$ 570,00/casal com café da manhã (estava a R$ 267,00 na promoção) e o Serra Azul, mais requintado, com espumante no café da manhã e chocolate para os hóspedes antes de dormir, a R$ 350,00 no booking.com quando visto com bastante antecedência (é um dos primeiros a lotar).

Mirante Belverde: Vale uma paradinha para ver a vista. O vale do Quilombo pode ser visto no Belvedere, na estrada que liga Gramado a Canela (na Av. das Hortênsias, sentido Canela). O vale não é um parque e não tem custo para visitas. Para os que gostam de aventura, uma boa opção é conhecer o Refúgio da Família Sperry, no interior do Vale do Quilombo. Rodeado de mata nativa, você verá a beleza de cinco cachoeiras, além de animais silvestres e uma flora inigualável.

Vista Mirante Belverde

Vista Mirante Belverde

Parque Sperry e Restaurante Bergamota: Considerado imperdível almoçar lá e dar uma voltinha no parque, onde se pode até colher bergamotas e laranjas gratuitamente. Como só funciona durante os finais de semana e feriados, das 12h às 15 horas, não conseguimos visitar. O acesso ao parque já é um belo passeio. OBS: Não aceita cartões de crédito.

Tour Itaimbezinho: O cânion Itaimbezinho foi outro passeio que não conseguimos fazer, pois demora quase o dia inteiro, e é imprescindível ter bom tempo. Itaimbezinho é o segundo maior cânion da América Latina, com várias cascatas. Há duas trilhas planas, uma com cerca de 1,5 km e outra de 6 km (entre ida e volta). O ingresso para o Parque Nacional custa R$ 6,00. Se você for com agência, o custo dos transfers e guia para o dia é de R$ 99,00/pessoa (cotado com a agência Mundo do Vinho).

Tour Rural de Gramado: Esse é para quem quer explorar melhor a colonização europeia da região. O passeio dura em torno de 5 horas, passando pelas Linhas Nova e Bonita, localizadas no interior de Gramado. Visita-se um moinho colonial, uma fábrica de erva mate, o Museu Rural Fioreze e a propriedade da família Wagner, que trabalha com cultivo de framboesa physalis e mirtilo. Nesta mesma propriedade é oferecido um café da colônia com pães, cucas, wafles, salame, copa, queijo, geleia, frutas e sucos de uva e framboesa. Duração: 5h com saídas às 13:30 e mínimo de 6 pagantes. Valor: R$ 40,00 (por pessoa com agência de viagem, como a Mundo do Vinho) + R$ 32,00 do valor atual das taxas de visitação nas propriedades e café da colônia.

Passeios para Dias Chuvosos: Além do Snowland, alguns museus viram opções bacanas para aqueles dias em que a chuva não está dando trégua. Bar da Harley: com mais de 20 tipos de moto, o lugar é um bar que, por incrível que pareça, só funciona durante o dia. Há também o Hollywood Dream Cars , que tem decoração no estilo anos 60 americanos, dezenas de carros antigos e motos. Lá é possível alugar super carros, como Lamborghinis, Ferraris, Porches etc. Museu da Maria-fumaça que mostra um pouco da história desse maquinário antigo. Museu da Moda: são 2500 m² de área construída que permitem uma viagem no tempo, contando 4.000 anos da história do vestuário feminino.

Passeios com Crianças: Gramado tem várias atrações legais para quem viaja com os filhos. Museu de Miniaturas: 164 obras de todo o mundo miniaturizadas, da Usina do Gasômetro em Porto Alegre até o Castelo que inspirou o da Cinderela, na Alemanha. Aldeia do Papai Noel: É o único parque natalino do Brasil, aberto o ano todo para visitação. Museu de Cera: as réplicas não são tão bem feitas com nos museus de cera da Madame Tussaud, mas a criançada pode achar divertido.

Como chegar ao Alambique Flor do Vale: O alambique é meio escondido, mas seguindo as instruções abaixo fica fácil de achar! Contorne a Catedral de Pedra de Canela e siga pela rua que fica nos fundos até encontrar a transversal Av. Sete de Setembro. Vire à direita na Av. Sete de Setembro, que é o início da Linha São João. Siga a sinalização espalhada pela estrada que leva até o Alambique, a 7km do centro (fique atento, você passará por estrada de terra).

Outros Restaurantes em Gramado:

Restaurante Saint Andrews A experiência delicada contada no site Destemperados dá bastante vontade de conhecer esse restaurante exclusivo e caro. (A conta fica no mínimo R$ 300/pessoa).

Josephina Café – O  melhor chocolate quente de Gramado! Serve cafés, risotos e massas. Nos fundos há um espaço aberto, com mesinhas.

Per Voi – Rodízio de massas e galeto por R$ 55,00/pessoa (é simples, mas fomos e gostamos!)

Las Leñas – Especializado em parrilla uruguaia.

Outros Restaurantes em Canela:

Cantina 28 – Conhecido como o jardim das polentas na serra, o Cantina 28 está localizado em um espaço de  4.800 metros quadrados de área verde, próximo ao centro de Canela. É muito bem avaliado, tendo uma estrela do GUIA BRASIL, a avaliação do Guia 4 Rodas. O foco é a cozinha italiana.

Dona Fillipa – Muito bem cotado no site Destemparados, que sempre tem dicas boas.

 

comments2

Anúncios

2 comentários em “Gramado, Canela e Bento Gonçalves: a Serra Gaúcha é demais!

  1. Oi Leticia, Menina do céu !!! Vou viajar em 19 de junho para Bento Gonçaves, Canela e Gramado, exatamente o roteiro que vc escreveu. Está demais, cheio de detalhes e dicas muito boas. Imagino o trabalhão que vc teve, mas Para nossa sorte ( leitores) está tudo prontinho.
    Sua redação também é muito boa,nos leva a querer estar lá, conhecer os lugares, as pessoas e a saborear as delicias do sul. Este país é maravilhoso.
    Parabéns e muito obrigada. Ignez Sandrini.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: